Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REESTREIA

Atlético-MG viaja para duelo da Copa do Brasil sem Tardelli e Réver

Recém-contratado, Tardelli não foi incluído pelo técnico no próximo jogo
25/02/2020 23:00 - Estadão Conteúdo


 

Ainda não será nesta quarta-feira que Diego Tardelli fará a sua reestreia pelo Atlético Mineiro. Recém-contratado pelo clube, o atacante não foi incluído pelo técnico Rafael Dudamel na lista de relacionados para o duelo com o Afogados de Ingazeira, no sertão pernambucano, pela segunda fase da Copa do Brasil.

Tardelli está regularizado no BID da CBF e tem participado dos treinamentos do elenco na Cidade do Galo. Mas a longa inatividade o força a melhorar o condicionamento físico antes de ficar à disposição de Dudamel.

Além de Tardelli, o Atlético-MG terá outros dois desfalques contra o Afogados. Patric e Réver estão lesionados e não podem ser aproveitados nesta quarta-feira. Ambos tem lesões na coxa esquerda, sendo que o zagueiro se lesionou na última quinta, durante o duelo com o Unión, enquanto o lateral nem foi relacionado para o confronto pela Copa Sul-Americana por causa desse problema.

Já o volante Allan, que havia sido desfalque na partida contra o Unión por estar suspenso, voltará a ser aproveitado por Dudamel, que não indicou se manterá a formação com três zagueiros.

Assim, a tendência é que o time entre em campo com: Michael; Guga, Gabriel, Igor Rabello e Guilherme Arana; Jair, Allan, Nathan, Hyoran e Otero (Iago Maidana); Di Santo.

Confira a lista de relacionados do Atlético-MG:

Goleiros: Michael e Victor.

Zagueiros: Gabriel, Igor Rabello, Iago Maidana e Gustavo Henrique.

Laterais: Mailton, Guga, Fábio Santos e Guilherme Arana.

Volantes: Allan, Jair, Ramón Martínez e Zé Welison.

Meias: Hyoran, Marquinhos, Otero, Nathan, Dylan Borrero e Savarino.

Atacantes: Ricardo Oliveira, Di Santo e Edinho.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.