CONMEBOL

Athletico-PR é notificado por doping de Thiago Heleno e Camacho na Libertadores

Jogadores foram flagrados por uso de um complemento nutricional proibido
11/05/2019 18:30 - ESTADÃO CONTEÚDO


 

O Athletico-PR foi notificado pela comissão antidoping da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) de que os jogadores Thiago Heleno e Camacho foram flagrados por uso de um complemento nutricional proibido durante jogos da fase de grupos da Copa Libertadores.

O zagueiro Thiago Heleno foi pego após a partida contra o Tolima, no dia 9 de abril, pela quarta rodada do Grupo G, e o volante Camacho depois do jogo contra o Jorge Wilstermann, no dia 24 de abril, na quinta rodada. O defensor já foi suspenso preventivamente pela entidade e Camacho ainda aguarda contraprova.

Thiago Heleno também já desfalcou o time nos últimos dois jogos da fase de grupos da Libertadores, contra o Jorge Wilstermann, na Bolívia, e Boca Juniors, na Bombonera, após a notificação. Os jogadores e o clube podem recorrer e explicar a situação.

As suspensões ocorreram porque alguns jogadores, indicados por um nutricionista do Athletico-PR, usaram um termogênico, que serve para acelerar o metabolismo, e que contém uma substância proibida pela Conmebol. 

O meia João Pedro, emprestado ao Paraná, e o volante Bruno Guimarães, também utilizaram o termogênico, mas não foram a campo pela Libertadores.

Conmebol, Athletico-PR e os representantes dos jogadores envolvidos neste caso de doping revelado agora ainda não se pronunciaram oficialmente sobre as suspensões.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".