Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONTRA PUNIÇÃO

Árbitros relatam em súmula que protesto não atrasou jogos

Todos usaram um texto padrão, e ressaltaram que não houve atraso

13 AGO 15 - 15h:56FOLHAPRESS

Quase todos os árbitros da rodada da Série A desta quarta-feira (12) relataram nas súmulas o protesto que fizeram antes dos jogos, fazendo questão de afirmar que não houve atraso para o início dos confrontos.

Todos usaram um texto padrão, e ressaltaram que não houve atraso para tentar evitar possíveis punições por parte do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

A exceção foi Luiz Flávio de Oliveira, que não citou o fato no documento da partida Corinthians 4 x 3 Sport, apesar de o quarteto ter levantado a placa eletrônica com o número 0.5 antes do apito inicial.

Foi usado o seguinte texto: "informo que antes da partida o quarto árbitro levantou a placa de substituição com o numeral "05" no meio do campo de jogo, com anuência e presença de toda equipe de arbitragem. Informo ainda que foi feito um minuto de silêncio de forma simbólica objetivando a melhoria das leis para arbitragem. Esclareço que o jogo iniciou no horário previsto".

Na súmula dos jogos Flamengo 3 x 2 Atlético-PR, e Santos 1 x 0 Vasco, os árbitros Marcelo Aparecido de Souza (SP) e Emerson Luiz Sobral (PE), respectivamente, colocaram informação adicional de que os capitães das equipes foram informados e apoiaram a medida. Souza acrescentou que após o jogo o técnico do Atlético-PR, Milton Mendes, o parabenizou e desejou sucesso na empreitada.

Os árbitros de futebol protestaram contra o veto da presidente Dilma Rousseff a artigo do Profut que daria o direito à categoria de receber parte do dinheiro que é pago pelo direito de arena (fatia do valor dos direitos de transmissão).

O direito de arena é pago ao atleta por ter sua imagem veiculada em transmissões de jogos. Por lei, os clubes são obrigados a repassar aos sindicatos dos jogadores 5% do que recebem de direito de TV, para que depois o valor seja enviado aos profissionais.

A Anaf conseguiu incluir no texto da medida provisória o recebimento de 0,5% desse montante, o que, na conta da associação, renderia anualmente aos árbitros até R$ 8 milhões.

A CBF se posicionou contra a manifestação mas, inicialmente, não prevê punição aos árbitros.

Paulo Schmitt, procurador do STJD, disse que se houve atraso propositalmente para protestos, impactando na partidas, é possível punição.

"Não que a ideia seja inibir ou ameaçar, mas as normas disciplinares são aplicadas a todos", disse Schmitt.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Brasileiro de motocross quer atrair <br>10 mil pessoas em Três Lagoas
EM JUNHO

Brasileiro de motocross quer atrair 10 mil pessoas em Três Lagoas

Estadual de taekwondo vai reunir centena de atletas em Campo Grande
ARTES MARCIAIS

Estadual de taekwondo vai reunir centena de atletas

Niki Lauda falece <br>aos 70 anos
AUTOMOBILISMO

Niki Lauda falece
aos 70 anos

Novo reforço e mais dois são inscritos pelo Corinthians na Sul-Americana
ALTERAÇÕES

Três são inscritos pelo Corinthians na Sul-Americana

Mais Lidas