Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Sanidade animal

Iagro registra 140 casos de raiva bovina em Mato Grosso do Sul

O caso mais recente ocorreu na região de Amambai, com 35 mortes

3 SET 2017Por Renata Prandini10h:20

Após focos registrados na região de Amambai, subiu para 140 o número de casos de raiva bovina registrados em Mato Grosso do Sul neste ano. De acordo com o médico veterinário Fábio Shiroma, coordenador do Programa Estadual de Controle da Raiva dos herbívoros, da Iagro, do começo do ano até o momento, foram registrados 24 focos da doença no Estado.

O caso mais recente ocorreu na região de Amambai, onde, no início de agosto, foram confirmadas 35 mortes de bovinos em decorrência da doença. Hoje, o número de animais infectados subiu para 50. “Esse aumento se deve ao período em que a doença fica encubada. A raiva bovina demora até 50 dias para apresentar os sintomas. Então, em alguns casos, os animais foram vacinados, mas já estavam infectados e morreram depois da nossa ação”, completou.

Ao todo, a Iagro registrou sete focos da doença em regiões próximas do rio Amambai, sendo três no município de Amambai, dois em Aral Moreira e dois em Coronel Sapucaia.  Nas últimas três semanas, explicou Shiroma, foram visitadas 98 propriedades rurais naquela região para trabalho de orientação e prevenção à doença. “Priorizamos a região em que foram encontrados focos da doença. Depois, fomos para propriedades vizinhas para trabalho de prevenção”, completou. 

O processo de prevenção é dividido em duas frentes: a vacinação, feita pelo produtor rural, e a captura do morcego que transmite a doença. Conforme o coordenador da Iagro, até a semana passada, já haviam sido comercializadas 24 mil doses da vacina antirrábica em comércios especializados da região. “A situação na região já está controlada”.

Ao todo, técnicos da Iagro encontraram 21 abrigos de morcegos  hematófagos, principais transmissores da doença; 108 animais capturados.  “Esse trabalho de captura de morcegos é constante. Por exemplo, entre os meses de julho e agosto, foram apreendidos 225 morcegos na região de Naviraí. Trata-se de um serviço preventivo, por meio de análise de risco. Lógico que, quando há focos da doença, é intensificado”, completou.

A ação de prevenção e também vacina dos animais conta também com a parceria com Sindicatos Rurais da região.  A raiva dos herbívoros (bovídeos, equídeos, ovinos e caprinos) tem como principal transmissor o morcego hematófago da espécie Desmodus rotundus. Em casos de suspeitas da doença, a Iagro deve ser notificada.

BOTULISMO
Antes do caso na região de Amambai, a Iagro havia registrado caso de botulismo que resultou na morte de cerca de 1,1 mil cabeças de gado em uma única propriedade rural, situada no município de Ribas do Rio Pardo.  A doença foi confirmada por exames laboratoriais e foi apontada problemas no armazenamento da ração como causa. Segundo Shiroma, o caso foi acompanhado e não há riscos de proliferação. “Foi um caso isolado”. 

Leia Também