Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REDUÇÃO NOS EMPREGOS

Pesquisa aponta que população tem preferido mais os empregos formais

Diferença entre rendimentos chega a R$ 1 mil
06/11/2019 15:58 - FÁBIO ORUÊ


 

População de Mato Grosso do Sul tem preferido os empregos formais - aqueles com carteira assinada - ao invés dos informais, como mostram os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Segundo a pesquisa, em 2017, do total da população ocupada, 61,8% contava com trabalho formal. Em 2018, essa proporção se manteve estável, ficando em 62%, sendo a 7ª maior proporção do país. Os dados mostram que a partir de 2015, os índices da informalidade têm caído. No ano citado estava em 39,4%, caindo para 39%, depois 38,2% e 38% em 2016, 2017 e 2018, respectivamente. 

Em relação aos trabalhos formais, Mato Grosso do Sul fica atrás somente de Santa Catarina, com proporção de 77,3%, Rio Grande do Sul (69,6%), Distrito Federal (69%), São Paulo (68,2%), Paraná (66,9%) e Rio de Janeiro (65,1%). 

RENDIMENTO

Em 2018, o rendimento médio dos trabalhos formais era de R$ 2,5 mil e o dos trabalhos informais era de R$ 1,5 mil, apresentando diferença de R$ 941. Porém, a divergência maior de rendimento foi registrada entre pessoas brancas. No trabalho formal, era de R$ 2,9 mil, contra R$1,9 mil no trabalho informal. 

No Estado o rendimento médio real dos trabalhos formais (R$ 2,5 mil) apresentou o décimo maior valor entre os estados em 2018, abaixo da média nacional, que foi de R$ 2,7 mil. 

Em relação ao gênero, em 2018 o rendimento das mulheres (R$ 1,8 mil) era cerca de 24,3% menor do que dos homens (R$ 2,3 mil), reduzindo a diferença com o ano anterior, que foi de 25,5%. Entre as pessoas pretas ou pardas, o rendimento médio foi de R$1,7 mil, 35,16% menor do que das pessoas brancas (R$ 2,6 mil). Já relativo à faixa etária, o grupo de 50 a 59 anos de idade registrou o maior rendimento, com R$ 2,4 mil.

Relação, em reais (R$), dos redimentos:

Fonte: Síntese de Indicadores Sociais 2019

 

Felpuda


Mensagens trocadas por aí mostram que deverá “virar moda” políticos anunciarem que testaram positivo para a Covid-19. E sem medo de dizer que isso é porque o presidente Jair Bolsonaro anunciou ter sido infectado, e aí essa tchurminha estaria interessada também em ganhar holofotes. Porém, ressaltam que, como não se pode duvidar de coisa séria, o jeito é desejar “restabelecimento”. E não deixam de lembrar que o risco é a população descobrir que não fazem a menor falta. Essa gente...