Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

'FAÇA VOCÊ MESMO'

Sistema de construção utiliza princípios do Lego

Sistema de construção utiliza princípios do Lego
28/08/2015 02:00 - BAND


Os princípios do Lego e do Meccano, dois dos mais famosos jogos de montar do mundo, foram aplicados em um novo sistema de construção "faça você mesmo".

A invenção, batizada de SpeedyBrick, é de Flavio Lanese, engenheiro de Aosta, na Itália, que obteve a aprovação do Escritório Europeu de Patentes.

O sistema se baseia na montagem de blocos modulares para a edificação de paredes divisórias, muros ou outros itens em construções, móveis, criações artísticas, etc.

"O sistema de encaixe dos blocos permite que eles sejam montados de modo rápido e preciso. Elementos mecânicos ligam os blocos uns aos outros, formando uma armadura metálica que garante a resistência das construções", disse Lanese.

Para conectar os artefatos a pisos, paredes e tetos pré-existentes, é previsto um sistema baseado em elementos de compressão, que podem ser utilizados sem conhecimentos técnicos.

"As construções realizadas com SpeedyBrick não requerem mão-de-obra especializada e podem ser operadas por qualquer pessoa. O conjunto não prevê utilização de argamassa ou cola e não produz poeira, e os blocos não necessitam de revestimento ou tratamento", acrescentou.

Entre as principais vantagens do sistema, está a reversibilidade das obras: rapidamente e sem sujeira, os muros podem ser desmontados e suas peças, reutilizadas.

Além disso, os blocos já são predispostos para a instalação de redes elétricas e hidráulicas. Eles também podem ser produzidos utilizando uma grande variedade de materiais, como madeira e os mais diversos tipos de plástico, incluindo os reciclados. 

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?