Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

cenário

Seis em cada dez empresários
avaliam piora na economia

2 AGO 17 - 22h:00FOLHAPRESS

Cerca de seis em cada dez pequenos e microempresários (59%) acreditam que a economia piorou nos últimos seis meses, segundo pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

O dado faz parte do indicador que mede a confiança do empresariado de comércio e serviços.

Ele é composto por percepções relacionadas ao último semestre -o Indicador de Condições Gerais- e também de projeções dos próximos seis meses -o Indicador de Expectativas. As informações são da Agência Brasil.

Na composição geral, que considera os dois indicadores, houve melhora no índice. O Indicador de Confiança da Micro e Pequena Empresa chegou a 49 pontos, um acréscimo de 2,1 pontos percentuais na comparação com junho. Apesar da alta, no entanto, a pontuação segue em patamar de desconfiança com os negócios.

O indicador varia de zero a 100, sendo que acima de 50 pontos reflete confiança. Em relação a julho do ano passado, a alta é de 4,3 pontos percentuais.

Na avaliação do presidente da CNDL, Honório Pinheiro, a oscilação positiva mostra que a "tímida melhora do cenário econômico, com a queda da inflação e das taxas de juros, pode em alguma medida criar boas expectativas no empresariado".

Ele acrescenta, como mecanismos que contribuem para "injetar ânimo" nas empresas, a liberação dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e a recuperação do crédito no primeiro semestre. "Impediram, por ora, que as incertezas políticas tivessem impacto maior na confiança", avaliou Pinheiro.

COMPOSIÇÃO

O Indicador de Condições Gerais subiu de 32,2 pontos em junho para 37,3 pontos em julho deste ano. No mesmo mês do ano passado, o índice estava em 25,5 pontos.

Segundo o SPC Brasil e a CNDL, a pontuação "permanece abaixo do nível neutro de 50 pontos, significa que para a maioria dos micro e pequenos empresários a situação econômica do país e de suas empresas vem piorando com o passar do tempo, embora em ritmo menos acelerado como no auge da crise".

De acordo com as entidades responsáveis pela sondagem, a queda nas vendas é o sintoma mais perceptível para os que relatam piora nos negócios, tendo sido citada por 70% dos empresários.

O aumento dos preços aparece em segundo lugar (14%) , "mesmo com a inflação bem controlada", destacam os pesquisadores. O aumento da inadimplência como causa dos problemas é citado por 5% dos micro e pequenos empresários consultados.

O Indicador de Expectativas, por sua vez, apresentou recuo de 0,2 ponto percentual, passando de 58 em junho para 57,8 pontos em julho. No mesmo mês do ano passado, o índice maraca 59,1 pontos.

"Desde o início da série, a avaliação acerca do passado tem ficado abaixo das expectativas para o futuro. Porém, com os resultados do último mês, a diferença entre os dois componentes do Indicador de Confiança reduziu-se ao seu menor valor", diz nota de divulgação da pesquisa.

O levantamento mostra que 37% dos micro e pequenos empresários estão confiantes no futuro da economia. Os pessimistas somam 26%. Quando essa análise considera apenas a realidade da própria empresa do entrevistado, o índice chega a 55%. Os que manifestaram uma expectativa pessimista ao futuro dos seus negócios totaliza 15%.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Banco Central mantém juros básicos no menor nível da história
ECONOMIA BRASILEIRA

Banco Central mantém juros básicos no menor nível da história

COMPANHIA AÉREA

Procon notifica Gol sobre promoção de passagem a R$ 3,90

Companhia tem 24 horas para responder ao Procon
Produtos tradicionais de festa junina variam mais de 309%
CAMPO GRANDE

Produtos tradicionais de festa junina variam mais de 309%

Russos querem incentivos fiscais dados à Petrobras para assumir UFN3
NEGÓCIO BILIONÁRIO

Russos querem mesmos incentivos dados à Petrobras

Mais Lidas