Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Refis da prefeitura supera meta e arrecada R$36,6 milhões

Programa ofereceu desconto para renegociação de dívidas
11/09/2019 16:16 - SÚZAN BENITES


 

Programa de Pagamento Incentivado (PPI), conhecido como Refis, realizado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande arrecadou R$ 36,6 milhões para os cofres do município. Somente no último dia da ação, nesta terça-feira  (10) , mais de 2,7 mil contribuintes compareceram a Central do Cidadão.

A campanha, que teve início no dia 1º de julho conseguiu um resultado positivo, de acordo com o  secretário municipal de Finanças, Pedro Pedrossian Neto. “Nós conseguimos ultrapassar a meta, que era de R$ 30 milhões, e pode ser considerado um bom número”, disse.

No último dia  da campanha, a prefeitura reforçou o número de atendentes e recebeu mais de 2,7 mil contribuintes que estavam inadimplentes com o município.  O secretário reforçou que o montante recuperado será investido no custeio das despesas correntes da prefeitura.

O programa ofereceu aos contribuintes descontos de até 90% para renegociarem dívidas com a prefeitura da Capital. Com o Refis era possível regulizar a situação de todos os tributos administrados pelo município, como o ISS, ITBI, Taxas Públicas e principalmente o IPTU. Os descontos de até 90% foi oferecido para o pagamento à vista. Para o parcelamento em até seis meses, a remissão chegou a 75%. Já para quem dividiu os débitos em 12 vezes, o desconto oferecido foi de 30%.

Números divulgados antes do Refis, apontam que a prefeitura tinha mais de 195 mil contribuintes com algum tipo de atraso e uma dívida de aproximadamente R$ 2,2 bilhões em parcelas em aberto. Isso desde débitos ajuizados pela Procuradoria Geral do Municipal e também débitos não ajuizados.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!