Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

SENADO

Redução de 25% em salários de servidores será votada em 2020

Funcionários públicos que recebem mais de três salários mínimos se encaixam na PEC

14 DEZ 19 - 10h:00CLODOALDO SILVA, DE BRASÍLIA

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, senadora sul-mato-grossense Simone Tebet (MDB), cumpriu a promessa feita no mês passado e deixou para o próximo ano a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2019, conhecida como PEC Emergencial. O texto permite a redução da jornada e de salários (em até 25%) de servidores, suspende a progressão na carreira, proíbe concursos e veda pagamento de certas vantagens.

O texto original previa a redução salarial para todos os servidores, entretanto, o relator da matéria na CCJ, senador Oriovisto Guimarães (PODE-PR), na terça-feira  (10) apresentou seu parecer, no qual alterou a proposta limitando a redução de salários e jornada de trabalho no serviço público apenas para funcionários que ganham acima de três salários mínimos, que hoje correspondem a R$ 2.994.

O relator explicou que a redução vai poder ser aplicada a juízes e promotores de Justiça e demais agentes não submetidos a uma jornada de trabalho definida, mas resguarda servidores que recebem vencimentos mais baixos. “Não é justo que o sacrifício seja imposto aos servidores dos escalões mais baixos e com menores remunerações, ao tempo em que dele se excluem as mais altas autoridades, sob o argumento de estarem elas submetidas a um regime no qual não há jornada de trabalho definida. Introduzimos dispositivo que limita a aplicação da redução de jornada somente para quem receber acima de três salários mínimos”, enfatizou.

O texto apresentado ainda limita em 30 dias as férias anuais de novos servidores, incluindo todos os Poderes e o Ministério Público, porém, mantém períodos maiores para algumas carreiras, como as de juízes e promotores, que têm 60 dias de férias por ano. 

A proibição de progressão na carreira no período de ajustes contida na PEC apresentada foi mantida, entretanto, ele retirou as referências a carreiras como as de policiais e membros do Ministério Público. Pelo substitutivo, durante o período de ajustes, ficam vedadas as promoções e progressões, exceto para carreiras como a da magistratura.

Após o relatório pela aprovação da PEC ser apresentado, a CCJ decidiu deixar para o próximo ano a votação. É que ainda serão feitas duas audiências públicas, que deverão ser agendadas para as duas primeiras semanas de fevereiro. Requerimentos com esse objetivo foram aprovados na terça-feira. A data e os convidados ainda serão definidos pelo governo e oposição. 

Esta decisão contempla afirmação de Simone Tebet feita em novembro. À época, ela disse que o governo teria de escolher entre aprovar a PEC emergencial este ano com alterações ou deixar para 2020 insistindo no conteúdo proposto pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

As três propostas do governo – PEC emergencial, pacto federativo e desvinculação de fundos – passam pela CCJ antes da votação no plenário da Casa. “O Senado não tem pressa. Mais do que o calendário, nós temos de nos preocupar com aquilo que vamos entregar para o País”, afirmou Simone Tebet. “PEC emergencial, que o governo esqueça. Se ela é emergencial para o governo, ele que diga o que é emergencial para ele, porque isso não passa este ano”.

PEC

Texto institui mecanismos de ajuste fiscal, caso, para a União, as operações de crédito excedam à despesa de capital ou, para estados e municípios, as despesas correntes superem 95% das receitas correntes. Prevê que lei complementar disporá sobre a sustentabilidade da dívida pública, limites para despesas e medidas de ajuste. Modifica as medidas para cumprimento dos limites de despesa com pessoal previstos em lei complementar. 

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Município busca parcerias com o Governo mitigar perdas do ICMS
RECURSOS

Município busca parcerias com o Governo mitigar perdas do ICMS

A um mês de sorteio de R$ 300 mil, veja dicas para participar do programa Nota MS Premiada
CPF NA NOTA

A um mês de sorteio de R$ 300 mil, veja dicas para participar do Nota MS Premiada

Pacote de R$ 3 bilhões em <br> obras será lançado em março
GOVERNO DO ESTADO

Pacote de R$ 3 bilhões em
obras será lançado em março

STF deu aval a pensões de ‘solteiras’ em 265 decisões
QUATRO ANOS

STF deu aval a pensões de ‘solteiras’ em 265 decisões

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião