Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

PESQUISA

Quem mora na Capital está com
menos medo de perder emprego

Levantamento do Instituto da Fecomércio mostrou perspectiva boa

18 AGO 2017Por RODOLFO CÉSAR17h:17

Aumento no consumo e perspectiva de melhora profissional fazem parte de indicativo de pesquisa que analisou dados em Campo Grande.

Outro ponto favorável é que a intenção das famílias na Capital de consumir deve ser mantida de forma progressiva até o final do ano, apontou o levantamento. Um sentimento positivo também está relacionado à perspectiva de se manter o emprego e ter melhora profissional no prazo de seis meses.

Esses resultados foram obtidos a partir de dados da Confederação Nacional do Comércio. O balanço foi divulgado hoje, com base em análise do Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS (IPF-MS).

A mesma pesquisa apontou que quem tem renda abaixo de 10 salários míninos (R$ 9.370) o nível de confiança aumentou 2,6% na comparação mensal. Pelo contrário, as famílias que tem renda acima de 10 salários mostraram-se com nível de confiança em queda de 3,7%.

O levantamento ainda apontou que o índice de Intenção de Consumo das Famílias teve ligeira alta no mês de agosto, de 1,6% em relação a julho. Em pontos, passou de 76,8 para 78. Se comparado a agosto do ano passado, quando a crise estava mais acentuada, o aumento é de 23,22%.

“Como prevíamos, começamos a perceber uma reação na intenção do consumo, uma tendência para os últimos meses do ano. Além dos resultados mais favoráveis do mercado de trabalho no curto prazo, a trajetória recente da inflação já abriu as portas para mais quedas nas taxas de juros, fator fundamental para a recuperação das condições de consumo, que deve se manter até o fim do ano, de forma progressiva”, analisou o presidente do Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS (IPF-MS), Edison Araújo.

EMPREGO

Sobre o medo de perder o emprego, 35,7% dos campo-grandenses disseram que se sentem mais seguros na comparação com dados do ano passado. Os mais inseguros chegam a 23,1%.

"A perspectiva profissional de ter alguma melhora nos próximos seis meses é positiva para 48,6% dos entrevistados, contra 40,9% que disseram não ter perspectiva de melhora", informou relatório do Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS.

INFORMAÇÃO PESQUISA

A Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias é um indicador para medir a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida.

O número mínimo de famílias entrevistadas foi de 500 e os dados são coletados sempre nos últimos 10 dias do mês imediatamente anterior ao da divulgação. Por isso a pesquisa de agosto teve coleta de informações no final de julho.

Leia Também