Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

CRISE FINANCEIRA

Prefeitos cobram do Planalto medidas para aliviar caixa dos municípios

Prefeitos em todo o país enfrentam dificuldades financeiras

13 AGO 15 - 17h:01FOLHAPRESS

O ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, recebeu nesta quinta-feira (13) dirigentes da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) que cobraram do governo medidas para aliviar o caixa dos municípios, como a renegociação dos prazos para pagamentos de precatórios e o uso dos recursos de depósitos judiciais.

Participaram da audiência no gabinete do ministro os prefeitos Marcio Lacerda (Belo Horizonte), Artur Virgílio (Manaus), Luiz Marinho (São Bernardo do Campo) e Maguito Vilela (Aparecida de Goiânia).

A FNP tem feito um périplo por Brasília desde abril, quando se reuniu com a presidente Dilma Rousseff.

Em seguida, os prefeitos tiveram encontros com o vice-presidente Michel Temer e com os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Os prefeitos cobraram de Mercadante avanços na construção de uma agenda federativa permanente com o Planalto. A criação de uma mesa com representantes do governo federal e das prefeituras foi prometida à diretoria executiva da FNP em abril pela presidente e reforçada por Temer, mas o projeto não saiu do papel até agora.

No início da semana, a FNP divulgou uma carta aberta em que pediu "diálogo" entre os Poderes para superar a crise política e econômica que acomete o país, posição diferente de outras entidades de municípios que enviarão representantes a Brasília para engrossar os protestos contra o governo marcados para o próximo domingo (16).

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

EM ENTREVISTA

Bolsonaro: Não tem aumento de imposto no Brasil

Estado registrou 6.328 demissões em dezembro, aponta Caged
PESQUISA

Estado registrou 6.328 demissões
em dezembro, aponta Caged

BALANÇO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Caged: país criou 644 mil novas vagas de trabalho em 2019
EMPREGO

Caged: país criou 644 mil novas vagas de trabalho em 2019

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião