Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ECONOMIA

Preço da cesta básica cai em 15 capitais

Porém, a cesta ficou mais cara nas 18 capitais pesquisadas

4 SET 15 - 14h:04AGENCIA BRASIL

O preço dos alimentos considerados essenciais no dia a dia caíram em agosto, na comparação com julho, em 15 das 18 capitais onde é feita a Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Porém, no acumulado dos últimos 12 meses, período entre setembro de 2014 e agosto de 2015, e também desde janeiro deste ano, a cesta ficou mais cara nas 18 capitais pesquisadas.

Na comparação com o mês anterior, entre as 15 localidades com valor em baixa, as que tiveram maior recuo foram: Fortaleza (-4,60%); Salvador (-4,02%); Brasília (-3,46%) e Rio de Janeiro (-2,77%). Os preços subiram mais em Porto Alegre (1,2%) e João Pessoa (0,28%). Na capital pernambucana, Recife, o valor permaneceu estável em 0,01%.

No mês passado, a cesta mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 387,83), seguida pela de São Paulo (R$ 386,04, valor que ficou 2,47% abaixo do de julho e 14,28% acima do de igual mês do ano passado). Os valores mais baixos foram encontrados em Aracaju (R$ 283,02), Natal (R$ 286,36) e Salvador (R$ 305,11).

Pelos cálculos do Dieese, o salário mínimo necessário para garantir o sustento das famílias deveria ser de R$ 3.258,16 ou 4,13 vezes mais o valor atual vigente, R$ 788. No mês passado, o mínimo foi estimado em R$ 3.325,37, equivalente a 4,22 vezes o piso em vigor. Em igual mês do ano passado, o valor tinha sido calculado em R$ 2.861,55 ou 3,95 vezes o mínimo naquele período que era de R$ 724.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Petróleo e dólar aliviam pressão sobre contas públicas

Royalties sustentaram crescimento da arrecadação em abril
Motoristas esperam 16 horas em fila <br> para abastecer a R$ 2,50 em Campo Grande
FEIRÃO DO IMPOSTO

Motoristas esperam 16 h em fila para abastecer a R$ 2,50

Mercado de trabalho gera 2,6 mil novas vagas em abril em MS
EMPREGO

Mercado de trabalho gera 2,6 mil novas vagas em abril

Municípios recebem mais do FPM, <BR>mas outros repasses caem
ARRECADAÇÃO

Repasse do FPM aos municípios aumenta, mas outros caem

Mais Lidas