Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Economia

Plano Safra libera recursos para produtores a partir de amanhã

São R$ 190,25 bilhões destinados pelo governo federal a operações de custeio, comercialização e investimento

2 JUL 2017Por Daniela Arruda com agências11h:35


O agricultor brasileiro poderá contar, a partir desta segunda-feira (3), com recursos para financiar a próxima safra agrícola. São R$ 190,25 bilhões destinados pelo governo federal a operações de custeio, comercialização e investimento, por meio do Plano Agrícola e Pecuário (Plano Safra) 2017/2018. A expectativa do governo federal é que mais uma vez o setor do agronegócio contribua para impulsionar a economia do país, com uma colheita que poderá superar 240 milhões de toneladas de grãos.

Para Mato Grosso do Sul, as informações sobre o montante disponível em recursos devem ser apresentadas pelo Banco do Brasil até o fim da primeira quinzena deste mês. De acordo com último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apresentado no mês passado, a produção total de grãos no Estado deve alcançar 18,1 milhões de toneladas, crescimento de 31,6% em relação à safra anterior, de 13,7 milhões de toneladas. 

O Plano Safra é lançado pelo governo federal no início do ano agrícola, em 1º de julho de cada ano. Para ajudar os agricultores a custear a safra, é disponibilizado crédito em linhas com recursos obrigatórios, livres e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O produtor interessado deve verificar se seu banco oferta linhas de crédito do plano.

O Plano Safra 2017/2018 reduziu em um ponto percentual ao ano as taxas de juros das linhas de custeio e de investimento e de dois pontos percentuais ao ano, as dos programas voltados à armazenagem e à inovação tecnológica na agricultura.

No crédito de custeio e investimento, os juros caíram de 8,5% ao ano e 9,5% ao ano para 7,5% e 8,5%, à exceção do Programa de Construção de Armazéns (PCA) e do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro), nos quais a taxa será 6,5% ao ano.
O volume de crédito para custeio e comercialização é de R$ 150,25 bilhões, sendo R$ 116,25 bilhões com juros controlados e R$ 34 bilhões com juros livres. O montante para investimento é de R$ 38,15 bilhões, com aumento de 12% em relação à safra anterior.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também