Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

crédito

Penhora de joias cresce
9,44% no semestre em MS

De janeiro a junho, foram R$ 191 milhões em operações na Caixa

2 AGO 2017Por DA REDAÇÃO06h:30

O prolongamento da recessão econômica além do previsto e o esgotamento dos recursos ou crédito fizeram com que a população recorresse, cada vez mais, ao penhor para conseguir dinheiro para pagar as contas.

Conforme informações da Caixa Econômica Federal, o volume de operações de penhor teve crescimento de 9,44% no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período do ano passado.

De janeiro a junho deste ano, informou a Superintendência Regional do banco, foram emprestados R$ 191 milhões em Mato Grosso do Sul. O volume é R$ 17 milhões superior em comparação com o mesmo período do ano anterior, quando as operações de penhor movimentaram R$ 174 milhões.

Para o economista Thales de Souza Campos, presidente do Conselho Regional de Economia de Mato Grosso do Sul, o aumento nas operações de penhor é consequência da macroeconomia, que continua em recessão.

“O penhor é a última alternativa. O primeiro é usar o dinheiro que se tem para pagar as contas. Esse dinheiro não deu. Então, ele usa o crédito que existe. Você compra e fica devendo. Aliás, dever não é o problema, o defeito é não ter dinheiro para pagar, que gera a inadimplência. Sem dinheiro ou crédito na praça, a alternativa é penhorar o que se tem”, completou. Esse índice, completou o economista, pode ainda ser maior. 

*Leia reportagem, de Renata Prandini, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também