Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEMANA SANTA

Peixarias de Campo Grande esperam faturar 20% mais neste feriado

Movimento nos locais é intenso desde o início da manhã
19/04/2019 11:00 - DANIELLA ARRUDA


 

Consumidores de última hora movimentam desde o início da manhã de hoje as peixarias de Campo Grande, em busca do pescado para o tradicional almoço de Sexta-Feira Santa. As principais opções procuradas são o pintado em postas, filé de tilápia e costelinha de pacu. De acordo com comerciantes ouvidos pelo Portal Correio do Estado, a estimativa é que o fluxo de clientes tenha aumentado em torno de 50% nos últimos três dias. Quanto à expectativa de vendas, a projeção também é positiva, com aumento de 5% a 20% no comparativo com a Semana Santa do ano passado.

 

“Quarta, quinta e sexta-feira da Semana Santa são os dias (em) que mais aumenta o movimento. Só entre ontem (quinta) e hoje, cresceu mais de 50%. As vendas também melhoraram em relação à Semana Santa de 2019. A gente estima que o aumento deve ficar em 20%. O campo-grandense está consumindo mais peixe”, avalia Elias Marçal, da Peixaria Rio Sul, na Vila Carvalho. Hoje, o estabelecimento deve estender o atendimento até as 13h.

 

Na Peixaria do Mercadão, o movimento também é intenso. Entre os consumidores que passaram pelo local nesta manhã, está o construtor civil Ari Vieira Guimarães, 63 anos.”Eu queria pintado de rio, mas achei só o pintado confinado (sic) e comprei. Deixei para a última hora”, conformou-se.

 

Além de adquirir o peixe, consumidores têm a opção de comprar o que falta para a data na feira livre, montada no estacionamento do próprio centro comercial. O atendimento vai até meio-dia.

 

OPORTUNIDADE

Funcionário há 12 anos de um box de cesta básica no próprio Mercadão, o vendedor Ademir José da Silva, 54, o Pernambuco, aproveitou o feriado para trabalhar em uma banca de hortifrúti e garantir uma renda extra. “Como o Mercadão fecha e o pessoal não tem uma referência para compras, eles vêm para a feira livre no estacionamento”, contou.

 

Para a pequena agricultora Neide de Souza, 54 anos, da Aldeia Limão Verde (de Aquidauana), esta manhã também representa oportunidade de ganho. Normalmente ela comercializa os produtos da própria horta na Feira do Índio, mas nesta Sexta-Feira Santa, levou parte da produção para o estacionamento do Mercadão.

 

Entre os produtos que mais estão tendo saída, ela destaca a laranja ponkan e o milho. “É bom para a gente. O mercado está fechado e o pessoal vem, aproveita e leva o que precisa daqui”, comentou.

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!