CCR MS-VIA

Pedágio deve elevar custo do frete em até 8% no Estado

Desembolso adicional acarreta também a elevação da carga tributária sobre o serviço de transporte
10/09/2015 00:00 - DA REDAÇÃO


 

A cobrança de pedágio em nove postos construídos na Rodovia BR-163 deve pressionar a alta do frete em Mato Grosso do Sul. Pela estimativa do presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de MS (Setlog-MS), Cláudio Cavol, o valor deve majorar em até 8%. 

Cavol justifica que o desembolso adicional com pedágio acarreta também a elevação da carga tributária incidente sobre o serviço de transporte. Os pedágios começam a ser cobrados a partir de segunda-feira (14) no Estado. 

“Não tem como segurarmos. Vamos ter de repassar, de imediato, para o valor do frete”, afirmou Cláudio Cavol, referindo-se ao custo do pedágio. Segundo o presidente do Setlog-MS, o desembolso adicional, que encarece a tributação do serviço de transporte (o recolhimento é calculado sobre o valor bruto), deve elevar o frete entre 6% e 8% no Estado. 

*A reportagem, de Osvaldo Júnior, está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".