Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONTAS PÚBLICAS

Para ajustar finanças, governo quer reduzir contribuição estadual para Cassems

Azambuja alegou necessidade de se adaptar a medidas do ajuste fiscal estadual e federal

22 NOV 19 - 18h:14ADRIEL MATTOS

O governo de Mato Grosso do Sul enviou na quinta-feira (21) à Assembleia Legislativa do Estado (ALEMS) projeto de lei para reduzir o aumento na contribuição do Estado para a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado (Cassems), que presta serviços de saúde ao funcionalismo público. A correção do índice, que era de 0,25% ao ano, pode ser reduzida para 0,10%.

Além da contribuição do servidor, o governo ainda repassa recursos para a Cassems. Na legislação atual, a contribuição é de 5% ao ano, com data-base de dezembro deste ano, até atingir 5,25% no ano que vem. A alteração que o governo pede é que índice de 2019 fique em 4,85%, até atingir 5,25% em 2023.

Na justificativa, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) alegou que a atual lei, sancionada na gestão anterior, gerou despesas para a atual administração. “Diante do atual quadro econômico, qualquer aumento no repasse de recursos financeiros agravaria a crise fiscal do Estado, acarretando o desequilíbrio das contas públicas”, argumentou.

Azambuja garantiu a redistribuição da correção do índice não vai prejudicar o atendimento médico aos funcionários estaduais. Lembrou ainda do ajuste fiscal, que limita as despesas primárias do Estado.

“É importante destacar que as alterações propostas visam ao controle de despesas, num momento de séria restrição fiscal, especial e especificamente das despesas correntes, haja vista que o esforço em controlar esses tipos de despesa passa pela adequação do orçamento, de forma a liberar espaço para despesas de capital. Nesse sentido, convém frisar que as despesas correntes contam com o agravante das restrições à sua expansão, impostas pela adesão do Estado de Mato Grosso do Sul ao Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal e às medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal”, explicou o governador.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PLATAFORMA DIGITAL

Resgate eletrônico de depósitos judiciais chega a 12 estados

BRASIL

Após ser criticado, governo recua de decisão de excluir 17 ocupações do MEI

Tarifa de pedágio da ponte sobre Rio Paraguai aumenta 2,83% em janeiro
PREPARE O BOLSO

Tarifa de pedágio da ponte sobre Rio Paraguai aumenta 2,83% em janeiro

Comércio ficará aberto até 22h a partir de segunda-feira
CENTRO

Comércio ficará aberto até 22h a partir de segunda-feira

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião