CENÁRIO MILIONÁRIO

Marinha quer aumentar volume <br>de negócios com empresas de MS

De R$ 29 milhões em compras, só 23% foram com empresários do Estado
30/05/2017 17:00 - RODOLFO CÉSAR


 

Com volume de compras que chegou a R$ 29 milhões em 2016, o 6º Distrito Naval de Ladário vai participar de rodada de reuniões para apresentar oportunidades de negócio para pequenos e micro-empresários do Estado.

Apesar do total de compras do ano passado demandar serviços de 245 empresas, apenas 57 fornecedores foram de Mato Grosso do Sul. Do total comercializado, R$ 7,15 milhões ficaram no Estado.

"Ainda há um grande potencial para que mais empresas de Mato Grosso do Sul participem deste processo", informou nota do Sebrae MS, que promove a rodada de negócios amanhã (31), na sede da entidade em Campo Grande.

Os encontros são agendados e os horários disponíveis foram definidos para as 8h, 10h, 14h e 16h. Além de micro e pequenas empresas, produtores rurais também podem inscrever-se para participar.

A intenção é que os participantes façam exposição de produtos e serviços que podem ser oferecidos para o 6º Distrito Naval de Ladário.

"Haverá ainda, no dia seguinte (1º), duas turmas - às 8h e às 14h - de capacitação de fornecedores, em que serão explicados os critérios e condições necessárias para fornecer produtos e serviços à instituição pública", explicou o Sebrae MS.

A Marinha tem licitações exclusivas de até R$ 80 mil, benefício no critério de desempate que favorece os pequenos negócios, compra de no mínimo 30% de gêneros alimentícios da agricultura familiar, além de garantir pagamento e oferecer transparência e confiança nos processos de compra. "São compras sustentáveis, fortalecem a economia local", assegurou a promotora do evento.

O Sebrae em Campo Grande fica na Avenida Mato Grosso, 1661, e o telefone de contato é o (67) 3389-5348.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".