Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 16 de janeiro de 2019

ARRECADAÇÃO

IPTU à vista deve gerar
receita de R$ 180 milhões

Até ontem, R$ 61,8 milhões haviam sido arrecadados; hoje é último dia do desconto de 20%

10 JAN 2019Por Eduardo Fregatto04h:00

Pagamentos à vista do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), de Campo Grande, já renderam aos cofres públicos municipais, até ontem, R$ 61,8 milhões, e o montante deve chegar aos R$ 180 milhões hoje, último dia para efetuar o pagamento à vista com 20% de desconto. “Ano passado, recebemos  R$ 120 milhões  no último dia. É esperado algo em torno disso [para esse ano]”, afirmou o titular da Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento da Capital (Sefin), Pedro Pedrossian Neto. 

Ele destaca ainda que, os R$ 61,8 milhões arrecadados até ontem representam alta de 4,38% em comparação ao mesmo período de 2018. 

Ao todo, aponta, foram emitidos R$ 600 milhões em boletos do IPTU, com expectativa de receber, ao menos, R$ 400 milhões, devido à inadimplência. “Pelo menos a metade desse valor [R$ 200 milhões] deve ser paga em janeiro e fevereiro, e o restante parcelado em dez vezes”, explicou. “Até o momento, está tudo dentro da nossa expectativa, dentro da normalidade”, completou o secretário.

O pagamento à vista, que se encerra hoje, traz desconto de 20%. Para o pagamento à vista até o dia 10 de fevereiro, o desconto será de 10%. Já para o parcelamento em dez vezes, a dedução é de 5%. O desconto será concedido por parcela, desde que quitada até a data de seu vencimento.

PARCELA ÚNICA

Em entrevista ao Correio do Estado, o prefeito de Campo Grande, Marcos Marcello Trad (PSD), disse acreditar que mais de 30% dos pagamentos serão realizados em parcela única, a exemplo de anos anteriores.

“O  índice de contribuintes campo-grandenses que pagam à vista varia entre 29% e 32%, enquanto os demais optam pelo pagamento parcelado. Muitas pessoas aproveitam a oportunidade do desconto, que é de 20%. Para se ter uma ideia, em São Paulo o desconto máximo é de 7%”, observa o chefe do Executivo municipal.

Trad explica ainda que o nível de inadimplência varia entre 37% e 39%, situação que inviabiliza ou atrasa boa parte da execução de programas estruturais no município. A implementação do Refis, por exemplo, realizada pelo segundo ano consecutivo, não foi suficiente para quitar os débitos antigos. 

“Não está em nossos planos promover nova edição do Refis, até porque é uma situação complicada para quem está adimplente com os pagamentos. Entretanto, não podemos deixar de oferecer uma oportunidade para os cidadãos inadimplentes quitarem os débitos. O aumento das dívidas é reflexo da economia nacional, então, nosso papel é propor alternativa para os munícipes”, acrescenta o prefeito. 

MAIS INFORMAÇÕES

O contribuinte que não recebeu o carnê não precisa ir até a Central do IPTU para realizar o pagamento, pois tem a opção de imprimir a 2ª via pelo site, desde que tenha o número da inscrição municipal. Com o documento impresso, poderá pagar a taxa em qualquer agência bancária. 

Algumas pessoas receberam o carnê amarelo porque estão em débito com a prefeitura. Neste caso, o contribuinte pode vir até a Central do IPTU e quitar a dívida. (Colaborou Aline Oliveira)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também