Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CODECON

Investimentos de empresas devem criar 900 vagas na Capital

Recursos previstos somam R$ 160 milhões
08/02/2019 05:00 - ALINE OLIVEIRA


 

Em 2018, 40 projetos de instalação, ampliação e doação de área de empresas locais e de outros estados brasileiros movimentaram as reuniões do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Grande (Codecon). As propostas devem representar R$ 160 milhões em investimentos e gerar quase 900 empregos diretos, este ano.

A informação foi confirmada com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedesc), Abrahão Malulei Neto, durante entrevista concedida ao Correio do Estado

“Nossa expectativa para 2019 é alta em relação à chegada de novas empresas a Campo Grande. Estamos recebendo contatos de várias empresas que pretendem ingressar com cartas-consultas por meio do Prodes [Programa de Desenvolvimento Econômico e Social]”, declarou o secretário Abrahão Malulei Neto, destacando o papel que Campo Grande começa a representar por sua localização privilegiada em relação à implantação da futura Rota Bioceânica.

Ontem o Codecon realizou a primeira reunião do ano, com presença de 10 dos 13 conselheiros regularmente credenciados.

Os conselheiros apreciaram e votaram quatro projetos com previsão de investimentos na casa de R$ 80 milhões e criação de 225 novos empregos em Campo Grande.

As empresas beneficiadas, que em contrapartida farão os investimentos previstos e criarão as vagas de trabalho relatadas nos projetos são as seguintes: Manejo Indústria, Comércio e Importação de Sementes Ltda (exploração de atividade agropecuária); JM Comércio, Construção e Serviços Ltda (indústria de perfis metálicos); Vladimar José Tomazelli (fabricação de embalagens plásticas, sacos de lixo, papel higiênico, papel toalha e guardanapos); Taurus Distribuidora de Petróleo Ltda (armazenamento e postos de combustíveis).

FCO 

O Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (CEIF-FCO) realizou na quarta-feira a primeira reunião do ano com análise e aprovação de cartas-consultas que somam R$ 163,89 milhões para empreendimentos em Mato Grosso do Sul, sendo R$ 129,1 milhões do setor Rural e R$ 34,79 milhões do empresarial.  aconteceu na quarta-feira.

Foram aprovadas solicitações para empreendimentos em 23 municípios sul-mato-grossenses: Dourados, Bonito, Campo Grande, Ribas do Rio Pardo, Três Lagoas, Amambai, Rio Verde de MT, Camapuã, Rio Brilhante, Sonora, Paraíso das Águas, Costa Rica, Ponta Porã, Pedro Gomes, Maracaju, Vicentina, Chapadão do Sul, Mundo Novo, Fátima do Sul, Itaporã, Sidrolândia, Corumbá.

De acordo com relatório do Banco do Brasil apresentado na reunião do CEIF-FCO, até o momento já foram efetivamente contratados R$ 44,4 milhões em recursos do FCO, sendo R$ 27,29 milhões em contratos do setor Rural e R$ 17,15 milhões no Empresarial. Em 2019, Mato Grosso do Sul dispõe de R$ 2,26 bilhões em recursos do Fundo.

“Entre as principais demandas recebidas até o momento destacamos a compra de maquinário, correção de solo, reforma e ampliação, além de solicitações relacionadas à suinocultura, muitas delas para atender a necessidade de matrizes para as indústrias do setor, atividade em expansão no Estado”, comentou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...