Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

IMPOSTOS

Indústria em MS estima fechar
8 mil postos de trabalho com reonerações da folha

Carga tributária subiria R$ 900 milhões ao ano

25 AGO 15 - 00h:00DA REDAÇÃO

O setor industrial de Mato Grosso do Sul deve fechar mais 8 mil postos de trabalho com a aprovação da lei que reduz as desonerações da folha de pagamento e atingir a marca de 20 mil empregos fechados neste ano. A estimativa é da Federação das Indústrias do Estado (FIEMS), com base no levantamento do Radar Industrial, que ainda projeta que os setores industrial e comercial vão precisar desembolsar cerca de R$ 900 milhões a mais em tributos para a União por ano. 

O Projeto de Lei 57/2015 aumenta a contribuição previdenciária que as empresas têm de pagar ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). A proposta foi aprovada pelo Senado na semana passada, com voto favorável de três representantes da bancada estadual: Delcídio do Amaral (PT), Waldemir Moka (PMDB) e Simone Tebet (PMDB). O texto ainda precisa ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff. São 56 setores afetados. 

O presidente do Sinduscon/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias da Construção do Estado), Amarildo Miranda Mello, afirma que a redução do emprego no setor poderá ser de até 20%.“Nós vemos que o Governo não investe em empreendedorismo, não investe em quem produz. Ele vai dobrar a contribuição ao INSS e, com isso, vamos agravar ainda mais o nível de desemprego no Estado e no país”, frisa.

(*) A reportagem, de Paula Vitorino, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Fitch mantém nota de classificação de risco do Brasil

ECONOMIA

Dólar tem maior queda diária em quatro meses e fecha a R$ 4,04

Caixa vai dar desconto de até 90% para clientes com dívidas
RENEGOCIAÇÃO

Caixa vai dar desconto de até 90% para clientes com dívidas

Ajuste da bandeira tarifária representa alta de até 50% para atual nível amarelo
ENERGIA ELÉTRICA

Ajuste da bandeira tarifária representa alta de até 50% para atual nível amarelo

Mais Lidas