Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

FEIRA

Indústria de calçados emprega
1,7 mil pessoas em MS, diz Fiems

Número foi divulgado durante abertura de feira do setor

16 JUN 19 - 14h:45DANIELLA ARRUDA

Aberta neste domingo (16) em Campo Grande, a Feira de Calçados, Couros e Acessórios de Mato Grosso do Sul (Feicc-MS) chega à nona edição como referência para lojistas do interior do Estado adquirirem estoque de produtos e ganharem competitividade no mercado, além de ser uma vitrine para atração de novos empreendimentos, gerando empregos e atraindo investimentos. Atualmente, as 32 indústrias de calçados instaladas no Estado empregam 1.700 trabalhadores, de acordo com informações da Federação das Indústrias de MS (Fiems), que apoia o evento, promovido pelo Sindicato das Indústrias de Calçados de Mato Grosso do Sul (Sindical/MS) com empresas locais.

“Ainda que a indústria de calçados invista em tecnologia, trata-se de um segmento ainda bastante dependente de mão de obra. Onde uma indústria de calçados chega, há geração de empregos e movimentação da economia”, afirmou o presidente da Fiems, Sérgio Longen, durante a abertura da feira, ressaltando a importância do evento para apresentar Mato Grosso do Sul a potenciais investidores. Ainda conforme o dirigente da federação, cinco grandes indústrias calçadistas já se instalaram no Estado após participarem do evento: Pé com Pé, Smith Brothers, Klassipé, Pampilli e Klin.

A abertura da feira também teve a presença do secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que comentou a política de incentivos adotada pelo Estado para atrair estes empresários. “Desde a revisão do programa de benefícios fiscais do Estado, por meio do Fadefe (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado), Mato Grosso do Sul voltou a ser um Estado atrativo para os empresários de fora, que nos têm como uma região estratégica e com abundância de mão de obra qualificada”, destacou.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Paulo Corrêa, que também esteve presente na abertura, ressaltou a atuação dos parlamentares para fomentar a indústria de calçados. “É visível a importância do segmento calçadista para o desenvolvimento de diversas cidades do nosso Estado, e a capacidade destas empresas de transformar a realidade de municípios. Por isso sempre houve um empenho dos deputados para atrair e manter estas indústrias aqui”, disse.

OPORTUNIDADES

Além de fomentar a indústria de Mato Grosso do Sul, a Feicc-MS também incentiva outra parte da cadeia produtiva: tem como objetivo facilitar a vida dos comerciantes do Estado, que podem adquirir os produtos com preços e prazos diferenciados. “Toda cidade, independente do porte, tem uma loja de calçados, geralmente multimarcas e com produtos que possam atender o público masculino, feminino, infantil. Mas, imagine a dificuldade que é montar este estoque. O empresário precisaria percorrer diversos estados, aguardar a visita de um distribuidor de várias marcas se quiser ter um portfólio completo e diferenciado. Com a feira, ele tem tudo isso em um só lugar”, explicou o presidente do Sindical/MS, João Batista de Camargo Filho.

Segundo Camargo, muitos lojistas, principalmente os do interior, saem da feira com as compras fechadas para um semestre inteiro. A expectativa do Sindical/MS é movimentar, ao longo dos três dias de evento, cerca de R$ 15,5 milhões em negócios, e receber 250 lojistas de todos os municípios do Estado, que terão à disposição 62 estandes de 55 marcas de todo o País.

Para o empresário Pedro Arruda, que mantém uma loja multimarcas de calçados há 15 anos em Campo Grande, a feira aproxima o comerciante do distribuidor. “Venho há alguns anos e já tive a oportunidade de conhecer marcas que nunca tinha ouvido falar, e que passei a vender na loja. Outra questão importante é o momento de tête-a-tête, em que sentamos e negociamos o preço com o olho no olho”, detalhou.

A lojista Maria Odete Vinha, sócia proprietária de uma loja de calçados no Bairro Carandá, também na Capital, também considera a feira um momento de formatar a coleção. “Participamos para conhecer o que é tendência e, assim, nos preparamos para escolher o que a loja vai vender, o que vai agradar o consumidor”, afirmou.

Outro aspecto importante da Feicc/MS é para o industrial, que também considera a feira uma oportunidade de aproximação com o lojista. O Grupo Kidy, que desde 2013 opera em Três Lagoas e Birigui (SP) e atualmente emprega 850 funcionários – mais da metade de toda a mão de obra do setor no Estado –, participa pela segunda vez como expositora.

“Mato Grosso do Sul é um Estado de oportunidades. A Kidy enxergou aqui um ambiente propício para instalar a linha de produção e setor administrativo da empresa em razão das facilidades de distribuição, pela proximidade tanto com o Sul quanto com o Nordeste brasileiro, e também pelo comércio local, que busca variedade de produtos”, concluiu o gerente-regional da empresa, Alex de Souza.

A 9ª Feicc prossegue até terça-feira (18), no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, em Campo Grande. (Com informações Fiems)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputados propõem liberar venda de remédios sem aval da Anvisa
ECONOMIA

Deputados propõem liberar venda de remédios sem aval da Anvisa

Ministro diz a caminhoneiros que tabela do frete será suspensa nesta segunda
ECONOMIA

Ministro diz a caminhoneiros que tabela do frete será suspensa nesta segunda

Projeto itinerante realiza negociação com inadimplentes da Capital
CAMPO GRANDE

Projeto itinerante realiza negociação com inadimplentes

Autorizada licitação de obra da ponte sobre rio Paraguai, com início em 2020
PORTO MURTINHO

Autorizada licitação de obra da ponte sobre rio Paraguai

Mais Lidas