CAGED

Indústria de alimentos e bebidas puxa geração de empregos

Estado encerrou agosto com 1.152 novos posto de trabalho
25/09/2019 16:08 - GLAUCEA VACCARI


Mato Grosso do Sul fechou o mês de agosto com abertura de 1.152 vagas de trabalho com carteira assinada, segundo aponta dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. No ano, o Estado não teve nenhum mês com saldo negativo na geração de empregos.

O saldo positivo de agosto é resultado de 20.297 admissões e 19.145 demissões. Na comparação com o mesmo mês do ano passado,o resultado fica pouco abaixo, com 52 vagas a menos. Em 2018, foram abertos 1.206 postos de trabalho.

Desde o início do ano o Estado tem encerrado os meses com saldo positivo, com acumulado de 18.166 novos empregos de janeiro a agosto, resultado de 178.221 admissões e 160.055 desligamentos. Já nos últimos 12 meses, o saldo é 5.561 vagas.

No mesmo período do ano passado a criação de vagas era de 9.269 no acumulado. Já em 12 meses até agosto, houve abertura de 437 postos de trabalho, o que indica que os números melhoraram nos últimos anos.

SETORES

O resultado do mês foi puxado pelo setor de serviços, que gerou 571 postos formais. Todas as atividades do setor tiveram saldo positivo, com maiores contratações nos serviços médicos, odontológicos e veterinários (142 vagas); ensino (124); serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação (116); transportes e comunicações (114); comunicação e administração de imóveis, valores, mobiliários e serviços técnicos (68) e instituições de créditos, seguros e capitalização (7).

A indústria de transformação é o segundo setor que mais gerou emprego, com abertura de 499 vagas de trabalho. Apesar de ficar atrás do setor de serviços, em números absolutos, a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, inserida neste grupo, foi responsável pelo maior saldo de emprego, com 417 novas vagas formais.

Também tiveram saldo positivo no mês o comércio (105 postos), a construção civil (74 postos), serviços industriais de utilidade pública (50 postos) e extrativa mineral (33 postos).

Já a agropecuária fechou 180 vagas em agosto, enquanto a administração pública não teve variação, com cinco demissões e cinco contratações.

MUNICÍPIOS

Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, Campo Grande foi o que mais empregou, com saldo de 638 vagas, seguido por Dourados (+225) e Paranaíba (+ 82).

Tiveram mais demissões do que contratações os municípios de Naviraí (- 111), Corumbá (-24), Nova Andradina (- 22) e Sidrolândia (- 4).

PAÍS

Em todo o Brasil, houve abertura de 121.387 vagas de emprego formal, que é o saldo positivo decorrente 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos.

No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque do ano anterior. No mesmo período de 2018 houve crescimento de 568.551 empregos. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".