Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PACOTE DE AJUDA

Tesouro Nacional vai liberar R$ 40 bilhões para empresas pagarem salários

Transferência será direta na conta do trabalhador, objetivo é preservar empregos; veja os detalhes
27/03/2020 11:32 - Eduardo Miranda


O governo federal anunciou, na manhã desta sexta-feira (26), ajuda a pequenas e médias empresas para preservar empregos e garantir o pagamento dos salários de seus funcionários. Em parceria com bancos privados, o Tesouro Nacional vai transferir diretamente para a conta dos funcionários, os ganhos mensais no limite de até dois salários mínimos. A linha de crédito vale por dois meses.  

Conforme o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, serão R$ 20 bilhões por mês (R$ 40 bilhões no período). Deste montante, 85% virá diretamente do Tesouro Nacional, 15% dos bancos privados, que segundo o presidente do BC, são parceiros no programa.  

As empresas que aderirem ao programa tomarão o crédito a uma taxa de 3,75% ao ano (Taxa Selic). “É um juro com zero de spread”, diz Campos Neto. A adesão ao programa impede a empresa de realizar demissões no período de dois meses, durante as transferências de recursos.  

Campos Neto frisou que os recursos irão do Tesouro Nacional diretamente para a conta dos funcionários, sem passar por bancos e empresas. Salários no valor de até dois salários mínimos (aproximadamente R$ 2 mil) serão transferidos diretamente ao funcionário. “Para dar alívio aos caixas das empresas, os funcionários que ganham mais que isso terão o valor complementado pela empresa”, explicou Campos Neto.  

Estão aptas para participar empresas que faturam entre R$ 360  mil e R$ 10 milhões por ano. O prazo de carência é de seis meses, e o pagamento do crédito poderá ser feito em até 36 parcelas. O crédito será operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e a adesão e negociação serão feitas pelos bancos privados, onde as empresas já operam suas respectivas folhas de pagamento.  

Campos Neto lembrou que o programa de socorro a pequenos e médios empresários deve estar disponível em até 15 dias. Há a possibilidade de o programa já ser formatado na semana que vem. 

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...