Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

JUPIÁ E ILHA SOLTEIRA

Governador afirma que irá se empenhar para garantir domicílio fiscal de usinas para MS

Disputa entre MS e SP envolve arrecadação de impostos das hidrelétricas

3 SET 15 - 16h:48GABRIEL MAYMONE

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou, durante agenda em Selvíria (MS), nesta quinta-feira (3), que irá se empenhar para que o domicílio fiscal das usinas de Jupiá e Ilha Solteira fique com Mato Grosso do Sul.

“Vamos nos empenhar ao máximo para que as usinas sejam declaradas definitivamente de Mato Grosso do Sul”, disse o governador.

Anteriormente, as usinas pertenciam às cidades paulistas Castilho e Ilha Solteira. A situação já provoca embates judiciais entre São Paulo, que não quer perder receita tributária proporcionada pelas usinas, e Mato Grosso do Sul, que buscará defender o direito previsto na portaria. 

Segundo o secretário de Estado de Receita, Márcio Monteiro, “a mobilização será forte da classe política de São Paulo. Por isso, nós passamos para a PGE essa missão de preparar um estudo para se precaver de eventuais ações”, afirmou. 

Em junho, um despacho da União informando a relação das hidrelétricas que iriam a leilão mantinha São Paulo como sede de Jupiá e Ilha Solteira. No entanto, o documento foi revogado nesta terça-feira, quando a nova lista trouxe Mato Grosso do Sul à frente das duas usinas. A mudança consta da Portaria 384, assinada pelo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, e publicada na edição de quarta-feira do Diário Oficial da União. 

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

EM ENTREVISTA

Bolsonaro: Não tem aumento de imposto no Brasil

Estado registrou 6.328 demissões em dezembro, aponta Caged
PESQUISA

Estado registrou 6.328 demissões
em dezembro, aponta Caged

BALANÇO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Caged: país criou 644 mil novas vagas de trabalho em 2019
EMPREGO

Caged: país criou 644 mil novas vagas de trabalho em 2019

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião