Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

em 1º de outubro

Gasolina terá mais uma
alta em Mato Grosso do Sul

Pauta fiscal do combustível foi publicada no Diário Oficial da União

26 SET 2017Por DANIELLA ARRUDA06h:30

Após acumular aumento de 4% no preço médio da gasolina em quatro semanas, conforme números da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Mato Grosso do Sul terá nova alta do combustível a partir de 1º de outubro.

A pauta fiscal da gasolina comum será reajustada em 2,09% no Estado, passando de R$ 3,8277 para R$ 3,9077, de acordo com o Ato Cotepe do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), publicado ontem no Diário Oficial da União.

O preço da gasolina aditivada subirá de R$ 5,2953 para R$ 5,6392, acréscimo de 1,40%.

De acordo com a nova tabela, que traz o chamado Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF), espécie de preço médio do varejo sondado pela Secretaria de Estado de Fazenda para fins de tributação, a maior elevação da pauta fiscal, considerando todos os combustíveis, foi estabelecida para o gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha.

O aumento será de 4,43% a partir do próximo domingo, passando de R$ 4,9956 para R$ 5,2169 o valor do metro cúbico. 

Já entre os combustíveis veiculares, o diesel terá a maior majoração (3,80%). O preço de referência do óleo diesel sai dos atuais R$ 3,4408 para R$ 3,5716; o do S-10, de R$ 3,5557 para R$ 3,6944. Para o etanol, a alta será ligeiramente menor, de 0,91%, passando de R$ 2,9710 para R$ 2,9980.

O preço médio do gás natural veicular, o GNV, foi mantido em R$ 2,3639. No caso da querosene de aviação, a pauta fiscal foi reajustada para baixo e o preço passará de R$ 2,2803 para R$ 2,2547, queda de 1,11%.

PREÇOS

Levantamento da ANP aponta que o preço da gasolina comercializada em Mato Grosso do Sul alcançou R$ 3,800 na semana encerrada em 23 de setembro, com alta de 0,80% em relação à semana anterior (R$ 3,770) e 4% mais cara que há quatro semanas (R$ 3,653). 

A tendência de alta também é observada no diesel. O preço médio do combustível subiu 2,94% na semana passada (de R$ 3,403 para R$ 3,503) e 5,93% quando comparado com o valor comercializado quatro semanas atrás (R$ 3,307).

Já o comportamento do etanol desenhou trajetória diferente. Embora na semana encerrada em 23 de setembro o preço do derivado de cana tenha alcançado R$ 3,128 – com queda de 1,25% no comparativo com a semana anterior, quando custava R$ 3,128 nos postos do Estado –, permanece 0,42% mais caro em relação ao início do mês (R$ 3,076).

PETROBRAS

Como parte da política de preços da Petrobras, preços do diesel e da gasolina vendidos nas refinarias estão respectivamente 0,4% e 0,3% mais baratos a partir de hoje.

Na sexta-feira (22), a estatal havia informado aumentos de 0,6% no preço do diesel e de 0,2% no preço da gasolina. Os reajustes eram válidos a partir de 23 de setembro.

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho. Pela nova metodologia anunciada, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente.

Desde o início da nova metodologia, a gasolina acumula alta de 10% e, o diesel, valorização de 24,94%.

Leia Também