Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

RECURSOS

FCO terá contratação recorde de R$ 2 bilhões em 2019

Empresas tem R$ 200 milhões disponíveis e outros R$ 335 milhões podem ser contratados pelo setor rural

21 OUT 19 - 15h:30SÚZAN BENITES

Os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) em Mato Grosso do Sul chegarão ao número recorde em contratações. Conforme anunciado hoje (21) até o fim de 2019 serão R$ 2 bilhões em contratações do fundo rural e empresarial.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae e presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, as contratações serão recorde. “Ainda temos disponíveis de R$ 200 a R$ 300 milhões do FCO empresarial para disponibilizar. A estimativa é chegar ao recorde de R$ 2 bilhões de contratações em 2019.”

Com o lançamento dos recursos, o setor produtivo quer estimular o acesso dos empresários às oportunidades, buscando aproveitar o aumento do consumo causado pelas datas comemorativas do fim de ano. Os pequenos negócios poderão acessar dinheiro novo e orientações, como a oferta de crédito para capital de giro pelo FCO Empresarial.

A intenção é para que 100% do dos recursos do FCO sejam contratados até o dia 14 de novembro. De acordo com o superintendente do banco do Brasil Sandro Grando, todos os gerentes empresariais estão disponíveis para atender o cliente. “Toda aprovação de projetos tem de ser feita até o dia 14 de novembro além disso temos linhas específicas para atender um setor empresarial com 13º. Entre elas o giro 13º em que o empresário pode parcelar em 12 vezes com a primeira parcela para até 59 dias. Temos recursos para atender todos os empresários do Estado”.

Longen ainda reforçou que as opções de financiamentos para o pagamento do décimo terceiro salário disponíveis para os empresários estão atrativas. “No fim de ano as empresas enfrentam dificuldades e muitas planejam os investimentos para o ano que vem. É importante salientar que os juros hoje são atrativos e é uma condição muito clara de capital de giro para pagamento do 13°”, disse.  

O diretor-superintendente do Sebrae-MS, Claudio Mendonça, afirmou que neste momento os recursos são importantes para que os empresários se prepararem. “Tanto para ter um capital de giro para pagar o 13° e para melhorar o estoque no final de ano. Para quem quer melhorar ou abrir um novo negócio tem essa disponibilidade da linha de crédito. Claro que o empresário precisa cumprir toda a parte legal para conseguir ter acesso a esse recurso. O importante que nós temos a disponibilidade desses recursos num momento em que a economia começa a dar sinais de crescimento”.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, disse que tanto o comércio quanto a indústria tem uma alta demanda neste período. "Principalmente na questão de estoques e pagamento do 13°. O principal enfoque que estamos dando é as micro e pequenas empresas têm um capital de giro dissociado. Só não pode pagar impostos, de resto podem investir em produtos, fazer propaganda, então é um ótimo recurso para o fim de ano”.

Além dos R$ 200 milhões disponíveis para os empresários, Verruck reforça ainda que as propostas para recursos do FCO Rural voltaram a ser aceitas. “Reabrimos para a área rural, mais R$ 335 milhões conseguidos pelo governo do Estado junto ao Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Condel)”.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Sob nova direção, termelétrica é esperança de MS driblar crise do gás

Sob nova direção, termelétrica é esperança de MS driblar crise do gás

BRASIL

Emenda Constitucional da reforma da Previdência é publicada

Crise na Bolívia paralisa compra direta de gás natural
INCERTEZA

Crise na Bolívia paralisa compra direta de gás natural

Vendas do varejo sobem 0,7% em setembro, mostra IBGE
ECONOMIA

Vendas do varejo sobem 0,7% em setembro, mostra IBGE

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião