Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PLANO MANSUETO

Estado pretende solicitar R$ 1,2 bilhão em crédito

Disponibilização dos recursos foi anunciada na terça-feira

20 JUN 19 - 10h:00DANIELLA ARRUDA COM AGÊNCIAS

Mato Grosso do Sul pode fazer empréstimo com aval da União de até R$ 1,2 bilhão, caso faça a adesão ao Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal (PEF) — também conhecido como Plano Mansueto, em referência ao secretário do Tesouro Nacional, Mansueto de Almeida.

O programa visa socorrer Estados e municípios em situação de dificuldade fiscal. O montante foi divulgado ontem, pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ,durante agenda pública na Polícia Militar Ambiental. No entanto, o Estado só deve bater o martelo a respeito da inclusão no programa no próximo semestre, após trâmite do projeto de lei no Congresso Nacional. 

“Eu fiz a análise de todo o plano com a nossa equipe econômica e como nós sabemos que a Câmara dos Deputados vai alterar alguns itens — porque é uma lei complementar, o presidente da comissão é o [deputado federal sul-mato-grossense] Fábio Trad (PSD) e para relator, vai ser indicado alguém que tenha uma sintonia com os anseios e as prioridades dos Estados —, então nós optamos por aguardar finalizar a lei. Assim que finalizar a lei e o texto principal, nós vamos ver se fazemos ou não adesão”, informou.

Segundo o governador, a expectativa é que a lei “ande rapidamente” no Congresso. “Isso já é um compromisso e eu falei ontem (anteontem) por telefone com o presidente [do Congresso Nacional] Rodrigo Maia (DEM-RJ). Assim que finalizar a aprovação do texto da lei, nós vamos ver se tomamos a decisão de aderir ou não, até porque ele [Plano Mansueto] tem uma série de condicionantes, muitas delas até importantes para o equilíbrio fiscal dos Estados, mas algumas extremamente duras e que nós precisamos discutir melhor com a equipe econômica.

Então nós vamos aguardar o texto final aprovado e a sanção do presidente da República para, aí sim, a tomada de decisão, se aderimos ou não ao Plano Mansueto”, enfatizou.

REGRAS

Em relação ao montante que poderia ser disponibilizado, o governador explicou que são duas regras: uma pela receita corrente líquida e outra pelo nível de endividamento e o valor para empréstimo com aval da União alcançaria R$ 1,2 bilhão.

“Poderia ser utilizado para custeio, para equilíbrio das contas, pagamento de dívida e até investimentos. Mas como a lei não vai ser o texto que foi enviado e aprovado, e o presidente Rodrigo Maia disse que até agosto eles devem aprovar isso na Câmara, então é melhor a gente aguardar o texto final. Isso é igual reforma da Previdência. Mandou um texto, a comissão devolveu outro”, comentou.

Ainda conforme Azambuja, o presidente da comissão terá reunião com todos os secretários de Fazenda, para ajustar o texto. “Mas eu não tenho dúvida, vai ser uma ferramenta importante, principalmente para o ajuste e equilíbrio fiscal dos 27 Estados brasileiros”, finalizou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Autorizada licitação de obra da ponte sobre rio Paraguai, com início em 2020
PORTO MURTINHO

Autorizada licitação de obra da ponte sobre rio Paraguai

TRANSPORTE CARGAS

Já estão em vigor novas regras do frete mínimo para caminhoneiros

O cálculo do frete mínimo agora abrange 11 categorias
Dívidas de IPVA alcançam R$ 47,1 milhões no Estado
TRÂNSITO MS

Dívidas de IPVA alcançam R$ 47,1 milhões no Estado

Banana, laranja e maçã tiveram<br> menor preço em junho
COMÉRCIO HORTIFRUTI

Laranja e maçã registraram menores preços em junho

Mais Lidas