Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DEPOIS DO FERIADO

MS decide sobre proposta da União sobre alongamento da dívida na próxima semana

Se aceitar, Estado ganha prazo de 20 anos para pagar dívida de R$ 8 bilhões

24 MAR 16 - 05h:00DA REDAÇÃO

O Governo de Mato Grosso do Sul deixou para depois do feriado da Semana Santa a decisão de aderir, ou não, ao projeto de lei de alongamento da dívida dos Estados com a União, que deve ser votado na próxima terça-feira na Câmara dos Deputados.

Pela proposta, o Estado, que atualmente deve R$ 8 bilhões à União, ganha prazo de mais 20 anos para pagar a dívida e redução nos juros atuais, em 21%, que já foram classificados pelo próprio governador Reinaldo Azambuja (PSDB) como “agiotagem” e acabaram sendo revistos pelo Ministério do Planejamento depois de reunião com os governadores, sendo incluídos no projeto encaminhado anteontem ao Congresso Nacional.

Em contrapartida, terá que cumprir série de metas de ajuste fiscal, entre elas criação de teto para os gastos públicos, lei de responsabilidade fiscal própria, proibição de novos aumentos salariais para o funcionalismo público estadual e de benefícios fiscais para empresas.

(*) A reportagem, de Daniella Arruda, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeitura prorroga Refis e quer arrecadar mais R$ 7 milhões
NOVA OPORTUNIDADE

Prefeitura prorroga Refis
e quer arrecadar mais R$ 7 milhões

Nova decisão confirma Paper Excellence como majoritária da Eldorado Celulose
DECISÃO PROVISÓRIA

Nova decisão confirma Paper Excellence como majoritária da Eldorado Celulose

Queda no preço da arroba do boi não chega aos açougues
CARNE

Queda no preço da arroba do boi não chega aos açougues

RECEITA FEDERAL

Cerca de 700 mil contribuintes caíram na malha fina em 2019

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião