Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Balança

Estado amplia exportações em 18%
com soja e celulose

Receita chegou a US$ 4,8 bilhões no acumulado do ano

9 NOV 2018Por Daniella Arruda05h:00

Celulose e soja voltaram a puxar as exportações de Mato Grosso do Sul neste ano, quando considerado o acumulado de janeiro a outubro. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), as vendas externas do Estado somaram US$ 4,86 bilhões nos 10 meses de 2018, avanço de 18,3% em relação ao mesmo período de 2017, quando foram exportados US$ 4,10 bilhões.

Já o volume comercializado teve ligeiro decréscimo e saiu de 13,17 milhões de toneladas para 12,89 milhões de toneladas.

Principal produto da pauta de exportações do período, a soja respondeu por US$ 1,78 bilhão das vendas externas do Estado, o equivalente a 37% de aumento em relação a 2017 (US$ 1,30 bilhão). Para a celulose, o salto foi de 89,8% e a receita do insumo subiu de US$ 795,6 milhões para US$ 1,51 bilhão. 

Na avaliação do secretário de Estado de Produção e Meio Ambiente, Jaime Verruck, a celulose reposicionou MS no cenário nacional de exportações. “Hoje, o produto representa o maior crescimento na nossa balança comercial, com ganho em importância na economia local”, enfatizou.

A celulose tem como principal comprador a China, que elevou a procura pelo produto neste ano. A demanda aquecida e o dólar em alta ajudaram no bom desempenho do insumo na balança. 

Queda
Dentre os produtos que tiveram queda, os maiores percentuais foram observados para o milho (-74,4%) e o açúcar de cana (-64,8%). A receita com exportações para o grão recuou de US$ 289,1 milhões para US$ 73,8 milhões. Já para a outra commodity, as vendas saíram de US$ 443,3 milhões para US$ 156 milhões. 
A carne bovina e o frango também apresentaram retrações, respectivamente, de 9,5% e 7,4% em suas exportações. A receita proveniente do produto carne bovina desossada e congelada totalizou US$ 273,1 milhões de janeiro a outubro, ante US$ 301,9 milhões no mesm período de 2017. Já as vendas de pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas congelados recuaram de US$ 239,4 milhões para US$ 221,6 milhões.

Ainda conforme os dados do Ministério da Indústria, as vendas externas de minério de ferro realizadas por Mato Grosso do Sul tiveram aumento de 18,2% no período — de US$ 104,6 milhões para US$ 123,7 milhões — e as de minério de manganês avançaram 8%, saindo de US$ 71,9 milhões para US$ 77,7 milhões. 

Importações
As importações de Mato Grosso do Sul somaram US$ 2,28 bilhões em 10 meses de 2018, montante 8,2% superior ao do mesmo período do ano passado (de US$ 2,10 bilhões). O volume de mercadorias e produtos comprados do exterior também apresentou crescimento e passou de 6,28 milhões para 6,39 milhões de toneladas.

Com US$ 1,24 bilhão, o gás natural respondeu por 54,5% das importações no período. No comparativo com 2017, quando foram comprados US$ 950,2 milhões, o crescimento das importações de gás natural foi de 30,9%. Cátodos de cobre refinado e seus elementos em estado bruto (US$ 115,1 milhões), cloreto de potássio para uso como fertilizante (US$ 66,9 milhões), fios texturizados de poliésteres (US$ 37,9 milhões) e outros veludos e pelúcias, de malha de fibras sintéticas ou artificiais (US$ 35,9 milhões) também estão entre os cinco principais produtos importados pelo Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também