Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTA MAIS CARA

"Equipamentos consomem mais energia no calor", diz Energisa

Audiência pública é realizada para esclarecer aumento nas contas
13/02/2019 16:27 - GLAUCEA VACCARRI E ALINE OLIVEIRA


 

As mais de 1,5 mil reclamações que deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul receberam de consumidores sobre aumento na conta de energia elétrica nos últimos meses, motivaram audiência pública, realizada nesta tarde, com representante da concessionária Energisa, para esclarecer o que motivou o encarecimento das faturas.

Conforme o diretor-presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes, a variação de consumo aconteceu em vários estados do País devido ao calor recorde registrado nos meses de dezembro e janeiro, que impactam nas unidades consumidoras. Ele disse ainda que o problema é cíclico e ocorre toda vez que as temperaturas são muito elevadas.

“É importante que as pessoas entendam que os equipamentos de refrigeração, o consumo deles está associado ao tempo de operação do compressor e, nesses períodos mais quentes, o compressor fica ligado praticamente o tempo todo. No gráfico [usado na apresentação para os deputados] mostra que a partir de 30ºC, praticamente o compressor não desliga e o que dita o consumo, o quanto um equipamento desse consome, é o tempo que o compressor fica ligado, não é o tempo de uso. Então uma geladeira que fica ligada o tempo inteiro, no verão ela consome muito mais do que no período frio”, disse.

Ainda segundo Vinhaes, todas as reclamações que foram feitas à concessionárias foram analisadas e, em todos eles, foi confirmado que não houve problema em relação a questão de medição.

“O que é diferente agora é que a gente teve um dezembro mais quente desde 2006 e até dia 24 de janeiro, era o janeiro mais quente do século, então nós tivemos dois meses com temperaturas atípicas no Mato Grosso do Sul. E reforço, aconteceu em toda a região sul, sudeste e centro-oeste do país, não é uma particularidade da Energisa e nem do estado do Mato Grosso do Sul”, explicou Vinhaes.

Um dos propositores da audiência, deputado Marçal Filho disse que foi solicitado o esclarecimento da Energisa porque parlamentares da Capital e do interior receberam milhares de reclamações, sendo mais de 500 na Capital e 800 em Dourados. No entanto, segundo ele, o número pode ser bem maior, tendo em vista que muitas pessoas não formalizam denúncia.

Já o deputado Pedro Kemp disse que a reunião é fruto de uma discussão que começou no fim de 2018 e, no recesso, ele também recebeu várias reclamações de pessoas indignadas com os valores cobrados, alegando que não tem aparelhos que justifiquem o aumento expressivo.

“Temos que dar uma resposta para estas pessoas. É nosso dever de parlamentar acompanhar, fiscalizar esta situação e apurar a veracidade das denúncias”, disse.

Além dos esclarecimentos já antecipados pelo diretor-presidente da Energisa, o superintendente do Procon estadual, Marcelo Salomão, disse que também pedirá explicação sobre denúncias recebidas no órgão quanto a informações repassadas por Procons municipais, de que há linhas de transmissão em péssima qualidade no interior, que podem impactar na conta.

O debate está sendo realizado no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!