Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CRISE

Empresas de crédito demitiram mais de mil pessoas no Estado

Movimento caiu até 30% e lucro teve recuo de 60% em algumas financeiras da Capital

24 AGO 15 - 00h:00DA REDAÇÃO

Nos sete primeiros meses do ano, as instituições de crédito, seguros e capitalização de Mato Grosso do Sul registraram 1.072 demissões. O saldo de empregos fechou negativo (-572), representando o pior resultado dentre os grupos do setor de serviços em 2015, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgado na semana passada. Acostumados a oferecerem crédito para quem está endividado, os empresários do segmento estão buscando soluções para contornar os seus resultados negativos: queda de cerca de 60% no faturamento mensal e redução de 30% nas operações em comparação com o mesmo período do ano passado. 

Os empresários reclamam de mudanças nas regras para o empréstimo, que reduziram a margem de lucro dos correspondentes bancários, e da crise financeira, que aumentou o nível de endividamento dos clientes, impossibilitando em alguns casos novos financiamentos. 

Com queda de 60% nos lucros, o  gerente de uma instituição de crédito, Cleber Franco Cristaldo, afirma que precisou enxugar o quadro de funcionários em 50% desde o início deste ano. “A gente está tendo que trabalhar mais, mas ganhando menos”, reclama. Gerente de outra unidade, Jader Souza, estima retração de mais de 50% no faturamento deste ano. “Hoje o grande problema é a comissão que as financeiras ganham dos bancos: a gente até vende bem, mas o faturamento diminuiu”, diz.

(*) A reportagem de Paula Vitorino está na edição de hoje do Correio do Estado.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

QUEDA DE 0,72%

Dólar cai a R$ 4,11 com fala de Powell e abertura de capital da XP

Copom reduz juros básicos de 5% para 4,5% ao ano, o menor nível da história
TAXA SELIC

Copom reduz juros básicos de 5% para 4,5% ao ano, o menor nível da história

MERCADO

EUA ainda discutem tarifas sobre aço e alumínio; Brasil espera decisão antes do Natal

Cade aprova compra da Nextel pela Claro sem restrições
MERCADO

Cade aprova compra da Nextel pela Claro sem restrições

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião