Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Economia

Empregos com carteira assinada caem 3,1% em um ano

Empregos com carteira assinada somaram, em julho, 11,3 milhões nas regiões analisadas

20 AGO 15 - 20h:00AGENCIA BRASIL

Empregos com carteira assinada e o rendimento real habitual do trabalhador brasileiro registraram queda em julho deste ano, conforme pesquisa divulgada hoje (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os empregos com carteira assinada somaram, em julho, 11,3 milhões nas seis regiões metropolitanas analisadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME). De acordo com o IBGE, o número caiu 3,1% em relação a julho de 2014. Isso significa que há – no mercado de trabalho – menos 359 mil pessoas com carteira assinada.

Na comparação com junho deste ano, também houve uma queda, de 1,5%, no número de pessoas com carteira assinada. Os empregos sem carteira assinada somaram 1,98 milhão, com estabilidade tanto na comparação com junho deste ano quanto na comparação com julho de 2014.

A população ocupada total nas seis regiões metropolitanas ficou estatisticamente estável em ambas as comparações temporais, em 22,8 milhões de pessoas.

Entre os grupamentos de atividades, os postos de trabalho mantiveram-se estáveis em todos eles, na comparação com junho deste ano. Na comparação com julho do ano passado, houve quedas na oferta de postos de trabalho na indústria (-4%) e na construção (-5,2%). Os itens educação, saúde e administração pública registraram aumento de 4,2% na população ocupada.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

População do Estado já pagou <BR>R$ 10 bilhões em impostos
IMPOSTÔMETRO

População do Estado já pagou R$ 10 bilhões em impostos

Governo paga 144% mais <BR>que iniciativa privada
MÉDIA

Governo paga 144% mais
que iniciativa privada

BOLSA DE VALORES

Amazon, Apple e Google lideram ranking das ações estrangeiras mais negociadas

ECONOMIA

Fitch mantém nota de classificação de risco do Brasil

Mais Lidas