Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEGURO-DESEMPREGO

Em Mato Grosso do Sul, benefício <br>atende só 33,8% dos desempregados

Regras mais rígidas e alta rotatividade dificultam acesso do trabalhador a auxílio
10/07/2017 06:00 - Jones Mário


 

Apenas um terço dos sul-mato-grossenses que perderam seus postos no mercado de trabalho este ano tiveram acesso ao seguro-desemprego. De acordo com informações da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), 25.453 pessoas conseguiram o benefício em 2017, que representam 33,82% do total de desligados.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, 75.248 pessoas deixaram seus empregos este ano, no Estado.

Uma das razões para a disparidade entre o número de demitidos e a quantidade de beneficiados pelo seguro-desemprego são as mudanças nas regras para receber o auxílio, em vigor desde o início de 2015, início do período de recessão. A principal alteração foi exigir um tempo mínimo de trabalho para ter direito ao seguro, que varia conforme a quantidade de vezes que o trabalhador já recebeu. Antes, o período de 6 meses valia para todos.

Reportagem completa está na edição de hoje do Correio do Estado.

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!