Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Em meio a demissões, metalúrgicos da GM têm audiência de conciliação

Ontem (14), a GM anunciou, oficialmente, que demitiu 798 trabalhadores, no último dia 7

15 AGO 15 - 20h:00AGÊNCIA BRASIL

Em meio a demissões e protestos, metalúrgicos da unidade de São José dos Campos da General Motors e representantes da montadora reúnem-se em audiência de conciliação na tarde de segunda-feira (17), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas, interior paulista. Ontem (14), a GM anunciou, oficialmente, que demitiu 798 trabalhadores, no último dia 7.

De acordo com GM, após essa data não ocorreram mais cortes. A montadora justificou que a medida foi tomada por causa do desaquecimento das vendas no setor e o impacto sobre as atividades. Na segunda-feira (10), os mais de 5 mil metalúrgicos da unidade entraram em greve como forma de pressionar a empresa a rever os cortes e a reabrir negociações.

“A empresa já havia informado por diversas vezes que está passando por uma forte crise econômica e que o Complexo de São José dos Campos não está competitivo há algum tempo. As vendas caíram, os estoques estão altíssimos, temos uma fábrica de alto custo e estamos com excedente de pessoal”, informou a empresa. Segundo o documento, a empresa alega enfrentar o pior momento da crise.

A montadora informa ainda que respeita o direito de greve, mas têm ocorrido excessos nos piquetes, impedindo a entrada de quem pretende trabalhar. Para a empresa, o sindicato está descumprindo determinando judicial ao barrar o acesso desses trabalhadores.

Também por meio de nota, o presidente do sindicato dos Metalúrgicos de são José dos Campos, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá, repudiou as demissões e reafirmou o propósito de manter as manifestações.

"Temos a responsabilidade de unificar a luta com os trabalhadores das outras montadoras, contra as demissões e retirada de direitos. Vamos dizer não à redução de salários e sim à estabilidade no emprego. Se for pra cortar salário, que seja de quem está em Brasília", disse ele. Ontem, Macapá liderou uma passeata, na Rodovia Presidente Dutra, entre os quilômetros 145 e 146.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BACIA DE SANTOS

Petrobras inicia produção de petróleo e gás natural no campo de Berbigão

Dólar volta a fechar no segundo maior valor desde criação do real
NÍVEL HISTÓRICO

Dólar volta a fechar no segundo maior valor desde criação do real

Turistas que vem ao Estado gastam mais de R$ 1 mil
PESQUISA

Turistas que vem ao Estado gastam mais de R$ 1 mil

Mato Grosso do Sul é o 6º com maior taxa de crescimento do PIB do país
CRESCIMENTO

MS é o 6º com maior taxa de crescimento do PIB do país

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião