Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Em meio a demissões, metalúrgicos da GM têm audiência de conciliação

Ontem (14), a GM anunciou, oficialmente, que demitiu 798 trabalhadores, no último dia 7

15 AGO 15 - 20h:00AGÊNCIA BRASIL

Em meio a demissões e protestos, metalúrgicos da unidade de São José dos Campos da General Motors e representantes da montadora reúnem-se em audiência de conciliação na tarde de segunda-feira (17), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas, interior paulista. Ontem (14), a GM anunciou, oficialmente, que demitiu 798 trabalhadores, no último dia 7.

De acordo com GM, após essa data não ocorreram mais cortes. A montadora justificou que a medida foi tomada por causa do desaquecimento das vendas no setor e o impacto sobre as atividades. Na segunda-feira (10), os mais de 5 mil metalúrgicos da unidade entraram em greve como forma de pressionar a empresa a rever os cortes e a reabrir negociações.

“A empresa já havia informado por diversas vezes que está passando por uma forte crise econômica e que o Complexo de São José dos Campos não está competitivo há algum tempo. As vendas caíram, os estoques estão altíssimos, temos uma fábrica de alto custo e estamos com excedente de pessoal”, informou a empresa. Segundo o documento, a empresa alega enfrentar o pior momento da crise.

A montadora informa ainda que respeita o direito de greve, mas têm ocorrido excessos nos piquetes, impedindo a entrada de quem pretende trabalhar. Para a empresa, o sindicato está descumprindo determinando judicial ao barrar o acesso desses trabalhadores.

Também por meio de nota, o presidente do sindicato dos Metalúrgicos de são José dos Campos, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá, repudiou as demissões e reafirmou o propósito de manter as manifestações.

"Temos a responsabilidade de unificar a luta com os trabalhadores das outras montadoras, contra as demissões e retirada de direitos. Vamos dizer não à redução de salários e sim à estabilidade no emprego. Se for pra cortar salário, que seja de quem está em Brasília", disse ele. Ontem, Macapá liderou uma passeata, na Rodovia Presidente Dutra, entre os quilômetros 145 e 146.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Funsat seleciona vendedores e promotores de vendas nesta terça
OPORTUNIDADE

Funsat seleciona vendedores
e promotores nesta terça

MS poderá usar até R$ 500 milhões para obras de infraestrutura
CONDEL SUDECO

MS poderá usar até R$ 500 mi para obras de infraestrutura

Confiança da indústria cai 1,6 ponto na prévia de maio, diz FGV
DESCONFIANÇA

Confiança da indústria cai 1,6 ponto na prévia de maio, diz FGV

EM BRASÍLIA

Aprovada ampliação de financiamento para aquisição de suínos pelo FCO

A proposta foi apresentada por Azambuja em Brasília

Mais Lidas