Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

MERCADO FINANCEIRO

Dólar vai a R$ 4,18 e tem maior cotação desde setembro de 2018

13 NOV 19 - 19h:05ESTADÃO CONTEÚDO

O dólar comercial teve novo dia de alta e fechou em R$ 4,1856 (+0,46%), a maior cotação em mais de um ano, desde o dia 13 de setembro de 2018 (R$ 4,1998). O ambiente externo menos favorável, ainda em meio às preocupações com o Chile e no final da tarde a notícia de travamento das negociações comerciais entre China e Estados Unidos, pressionou o câmbio. No cenário doméstico, operadores mencionaram que seguem as dúvidas sobre o cenário político, após o presidente Jair Bolsonaro deixar o PSL, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a prisão.

O dólar à vista subiu desde a abertura e, nos nove pregões de novembro, fechou em alta em sete deles. No mês, a moeda americana acumula valorização de 4,40% e, no ano, já sobe 8,1%. No Chile, o dólar subiu mais 2% e acumula ganho de mais de 6% somente esta semana. No ano, avança 15%. No final do dia, o banco central chileno anunciou uma intervenção de US$ 4 bilhões, a partir desta quinta-feira (14).

"Vimos hoje (quarta) uma continuidade do ajuste dos últimos dias", afirma o sócio e gestor da Paineiras Investimentos, David Cohen. O mercado brasileiro, mais líquido e fácil de operar, acaba sendo penalizado pelos eventos no Chile, um mercado pequeno, com baixo volume de negócios, ou seja, para o investidor se desfazer de certas apostas pode levar tempo. No Brasil, ressalta ele, é muito mais fácil fazer hedge.

O dólar futuro para dezembro superou os R$ 4,19 no final da tarde, mas Cohen acha que não é o momento de o Banco Central entrar no mercado. Primeiro porque a alta do dólar aqui reflete um movimento que vem ocorrendo em vários emergentes e o real está em linha. Outra razão é que os indicadores mais técnicos do mercado de câmbio - como a taxa do dólar casado (a diferença entre o dólar à vista e o futuro) e o cupom cambial (juro em dólar) - indicam que não há disfuncionalidade na liquidez da moeda americana.

Na tarde desta quarta, a agência de notícias Dow Jones reportou, com base em fontes, que as conversas comerciais entre Estados Unidos e China atingiram "uma trava" por questões de compras agrícolas, que Pequim reluta em adquirir mais produtos dos EUA. Neste momento, o dólar à vista bateu máximas aqui, em R$ 4,1901. No início da noite, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que as negociações comerciais com Pequim "estão avançando bem rápido"

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Excesso de emendas desfigura reforma da previdência
SERVIÇO PÚBLICO

Excesso de emendas desfigura reforma da previdência

Prefeitura garante pagamento do 13º salário no dia 20
SERVIDORES MUNICIPAIS

Prefeitura garante pagamento do 13º salário no dia 20

ECONOMIA

Dólar recua para R$ 4,18 e tem menor nível desde 13 de novembro

Alta no preço da carne alavanca aumento da cesta básica
CAMPO GRANDE

Alta no preço da carne alavanca aumento da cesta básica

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião