Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ECONOMIA

Dólar tem terceira queda seguida e fecha no menor valor em 20 dias

12 SET 19 - 17h:18ESTADÃO CONTEÚDO

O dólar engatou nesta quinta-feira a terceira queda seguida, acompanhando o mercado internacional. O novo pacote de medidas do Banco Central Europeu (BCE) para estimular a atividade econômica da zona do euro ajudou a enfraquecer a moeda americana no exterior e fez a divisa cair a R$ 4,02 aqui na mínima do dia. Mas dúvidas sobre as negociações comerciais entre Estados Unidos e China reduziram o ritmo de desvalorização da moeda americana. O dólar à vista fechou em baixa de 0,13%, a R$ 4,0597, o menor nível em 20 dias.

O noticiário doméstico não teve repercussões no mercado cambial, que desde o início da semana esperava a reunião do BCE. Passado o evento, as expectativas se voltam agora para a reunião do Federal Reserve na semana que vem. Na Europa, o BCE cortou os juros e anunciou outras medidas, como um novo programa bilionário de compras de ativos sem prazo final para acabar.

Para a diretora em Nova York da BK Asset Management, Kathy Lien, o BCE foi "acima e além" do esperado ao anunciar o "amplo" pacote de estímulos. As medidas adicionais apontam que está praticamente garantido um corte de juros pelo Fed na semana que vem, o que tende a enfraquecer o dólar. Os economistas da High Frequency Economics esperam um corte de ao menos 0,25 ponto.

Na parte comercial, notícias de que Donald Trump adiaria a cobrança de tarifas adicionais em produtos chineses foram ofuscadas após a rede de televisão CNBC revelar que fontes da Casa Branca negaram a possibilidade de um acordo prévio entre as duas maiores economias do mundo. Com isso, o dólar aqui foi às máximas do dia, na casa dos R$ 4,07.

A moeda americana encontrou um "piso informal" na casa dos R$ 4,05. Níveis abaixo desse valor rapidamente atraem ordens de compra, segundo operadores. Para o chefe da mesa de câmbio da Frente Corretora, Fabrizio Velloni, um desdobramento positivo nas negociações comerciais entre China e Estados Unidos pode levar a moeda americana abaixo desse nível. Ao mesmo tempo, ele observa que os juros historicamente baixos aqui, e que devem cair de novo na semana que vem, deixa o país pouco atrativo para o investidor financeiro, o que impede uma queda mais pronunciada do dólar. Outro fator é que as exportações brasileiras estão caindo, por causa da perda de fôlego da economia mundial, o que reduz a entrada de dólares pelo canal comercial.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Uma aposta leva mais de R$ 120 milhões na Mega-Sena
CONFIRA SE VOCÊ É O SORTUDO

Bolão do PT leva mais de R$ 120 milhões na Mega-Sena

Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%
APÓS ATAQUE NA ARÁBIA

Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%

SELIC

Taxa básica de juros cai para 5,5% ao ano

Selic está no menor nível desde o início da série histórica
Criminosos se passam por funcionários da Caixa para aplicar golpe do saque do FGTS
BRASIL

Criminosos se passam por funcionários da Caixa para aplicar golpe do saque do FGTS

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião