Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

MERCADO FINANCEIRO

Dólar sobe para R$ 3,78 com prudência antes de decisões de juros

29 JUL 19 - 18h:01ESTADÃO CONTEÚDO

O dólar chegou a bater em R$ 3,80 hoje pela manhã, mas desacelerou o ritmo de alta na parte da tarde, em linha com o movimento da moeda americana no exterior. A forte queda da libra por conta do temor de saída não negociada do Reino Unido da União Europeia acabou contaminando outras moedas e contribuindo para fortalecer o dólar no mercado internacional, enquanto o mercado operou aqui e lá fora na expectativa pelos eventos da semana, que incluem indicadores importantes no exterior e reuniões de política monetária nos Estados Unidos, Japão, Inglaterra e do Banco Central brasileiro e ainda retorno do recesso parlamentar. O dólar à vista fechou em alta de 0,28%, a R$ 3,7831. 

Em meio à prudência com os eventos da semana, o volume de negócios foi fraco hoje. No mercado de câmbio, o giro no mercado futuro estava em apenas US$ 11 bilhões às 17h15, ante média de giro de US$ 18 bilhões para esse horário. No mercado à vista, o volume somou US$ 503 milhões. Operadores relataram que tesourarias e fundos foram às compras da moeda americana. No mercado futuro, os estrangeiros reforçaram na sexta-feira as posições compradas em US$ 573 milhões, segundo dados da B3. Estas posições ganham com a alta do dólar e indicam a prudência com os próximos dias.

Mesmo o Credit Default Swap (CDS) de cinco anos do Brasil operou praticamente estável, a 123 pontos, segundo cotações da IHS Markit.

Os eventos da semana começam a ganhar corpo nesta terça-feira, quando começam as reuniões para definir os juros aqui e do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Dependendo da intensidade dos cortes no Brasil e lá fora o diferencial de juros do país com o resto do mundo, especialmente em relação aos Estados Unidos, pode ser alterado, influenciando a atratividade dos ativos brasileiros para os estrangeiros. O Société Générale espera corte de 0,25 ponto aqui e pelo Fed. O JPMorgan e o Rabobank projetam corte de 0,50 ponto aqui e 0,25 pelo Fed. 

"O dólar se fortalece no começo de que parece ser a semana mais agitada do ano", ressalta o estrategista de moedas do banco de investimento Brown Brothers Harriman (BBH), Win Thin. Mesmo com o corte esperado pelo Fed, o executivo avalia que o diferencial de juros ainda favorece o dólar na economia mundial, por isso a moeda americana tende a se fortalecer no curto prazo. Para o Brasil, ele espera redução de 0,25 ponto, mas ressalta que há várias apostas no mercado de corte maior, de 0,50 ponto.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Governo quer leiloar 44 ativos de infraestrutura em 2020, diz ministro
BRASIL

Governo quer leiloar 44 ativos de infraestrutura em 2020, diz ministro

Municípios pedem receita do pré-sal para pagar salários
BRASIL

Municípios pedem receita do pré-sal para pagar salários

Redução de 25% em salários de servidores será votada em 2020
SENADO

Redução de 25% em salários de servidores será votada em 2020

COSTA BRASILEIRA

Caixa começa a pagar auxílio emergencial a pescador na próxima segunda

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião