Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MOEDA AMERICANA

Dólar fecha a R$ 3,86, de olho em cenário no Brasil

Na semana, a moeda subiu 7,68%; no ano, há alta acumulada de 45,2%
04/09/2015 18:00 - G1


O dólar fechou em forte alta nesta sexta-feira (4), em meio às persistentes incertezas envolvendo o cenário político e econômico interno e após os dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos mostrarem números que reforçaram visões de que os juros podem subir neste ano naquele país.

A moeda norte-americana subiu 2,68%, a R$ 3,8605 para venda. Veja cotação. Esta é a maior cotação de fechamento desde 23 de outubro de 2002, segundo a Reuters. Também foi a maior alta diária desde março, quando, no dia 13, o dólar subiu 2,77%, a R$ 3,29.

Na semana, a moeda subiu 7,68%. No mês e no ano, há alta acumulada de 6,43% e 45,2%, respectivamente.
 
Segundo Alex Agostini, presidente da agência de classificação de risco Austin Rating, a maior cotação do dólar desde o surgimento do real foi registrada no dia 22 de outubro de 2002, quando o dólar Ptax (taxa calculada pelo Banco Central) fechou a R$ 3,9552.

“Não há registro na história de dólar a R$ 4 no país”, diz Agostini, destacando que o dólar Ptax é a taxa oficial calculada diariamente pelo BC e principal referência para contratos cambiais.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.