Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PARA CAMPO-GRANDENSES

Destino do FGTS é unânime: pagamento de dívidas

Economista aconselha a análise das finanças do trabalhador
13/09/2019 11:01 - FÁBIO ORUÊ


 

Os nascidos entre janeiro e abril podem sacar, a partir de hoje (13), os R$ 500 da primeira etapa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Logo cedo, muitos já procuraram as agências da Caixa Econômica Federal para pegar o benefício para usar, principalmente, para pagar contas básicas. 

O motorista Maicon Gutierrez, de 34 anos, contou que com o dinheiro irá pagar a pensão alimentícia, água e luz da casa. “Esse dinheiro já faz a diferença no orçamento”, contou ele ao Correio do Estado. O mesmo destino terá o dinheiro da dona de casa Talita Paixão, de 28 anos. “Vou pagar as contas de água e luz. Comprar um gás que acabou e também roupas e sapatos para os meus filhos”, revelou. 

Já a auxiliar de serviços gerais Raquel Alves, de 36 anos, contou vai quitar as dívidas com lojas de roupas e eletrodomésticos. “Veio muito em boa hora o dinheiro”, comemorou. Já o vendedor Luiz Bento, de 55 anos, foi uns dos primeiros a sacar o FGTS, logo que o banco abriu, às 9h. Ele vai usar o dinheiro para pagar uma parcela do seu automóvel. “Com o pagamento não deu para pagar o carro e vou aproveitar esse dinheiro. Vai tudo para pagar conta. Hoje em dia qualquer R$ 10 faz a diferença no bolso da gente”, disse ele. 

O uso do dinheiro por parte dos entrevistados segue os conselhos do economista ouvido pelo Correio do Estado. “Uma dívida destrói a possibilidade de a pessoa evoluir. Pagou a dívida? Se organize para não fazer outras”, disse o presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-MS), Thales Souza Campos, que enfatizou que a principal dica para o trabalhador é analisar as suas finanças. 

Conforme o Superintendente da Caixa, Evandro Narciso de Lima, os três primeiros saques - 13 e 27 de setembro e 9 de outubro - são exclusivos para quem tem conta poupança na Caixa e correntistas que optaram por receber em conta corrente, por conta disso, o movimento nas agências era baixo. 

“Esse é o momento mais tranquilo, porque as pessoas já estão recebendo na sua conta, elas podem vir sacar no autoatendimento, elas podem sacar numa loteria, elas podem comprar com cartão de débito. Então a gente acha que o movimento vai ser mais tranquilo. A partir do dia 18/10 é que nós vamos começar a liberar para quem não tem conta, aí é que a gente acha que o movimento vai ser maior”, disse.

* Colaborou Valdenir Rezende 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?