Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

IBGE

Depois de dezembro estável, inflação volta a subir em Campo Grande

Puxado pela alta na habitação, IPCA fechou em 0,20% na Capital

8 FEV 19 - 11h:23RENATA PRANDINI

Campo Grande voltou a registrar aumento da inflação depois de um dezembro estável. Conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em janeiro a inflação ficou em 0,20% na Capital, permanecendo abaixo da média nacional (0,36%). No mês anterior, porém, a inflação de Campo Grande havia sido uma das mais baixas do País, em 0,06%. 

Entre os itens que compõem o índice, o IBGE aponta a habitação como um dos principais responsáveis por esse resultado em decorrência do aumento da taxa de água e esgoto de 4% em Campo Grande a partir de 3 de janeiro, o que resultou em um aumento de 3,41% na inflação. Quando somado os índices de moradia, aluguel e outras taxas, a inflação no item habitação recua  um pouco e fecha em  1,46% de alta. 

Porém, este não foi o único setor a apresentar aumento nos preços. No mês passado, a alimentação ficou 0,48% mais cara em Campo Grande, assim como os artigos para casa, que teve aumento de 0,64% nos preços e as despesas pessoais, cuja alta atingiu 0,41%. O custo de vida do campo-grandense só não ficou mais caro graças o comportamento apresentado por itens como o de vestuários, que teve deflação de 1,99%, transportes (-0,51%), educação (-0,23%) e comunicação (-0,08%). Ainda conforme o IBGE, os gastos com saúde e cuidados pessoais permaneceram em 0,07%. 

No acumulado do ano, a inflação ficou em 3,08%. 

BRASIL

No Brasil, o IPCA ficou em 0,32% em janeiro, acima dos 0,15% registrados em dezembro. Em janeiro de 2018, o índice foi de 0,29%. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação oficial do país ficou em 3,78%, pouco acima dos 3,75% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. A inflação de janeiro foi puxada pelo grupo alimentação e bebidas, que cresceu nos últimos 30 dias, fechando o mês em 0,90%. Em seguida, aparecem as despesas pessoais, que subiu 0,61%. Juntos, os grupos alimentos e bebidas e despesas pessoais responderam por cerca de 90% do índice do mês.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeitura quer arrecadar <br>R$ 450 milhões com o IPTU
IMPOSTO

Prefeitura quer arrecadar
R$ 450 milhões com o IPTU

Receita irá devolver R$ 27,3 milhões do Imposto de Renda em MS
RESTITUIÇÃO

Receita irá devolver
R$ 27,3 milhões do Imposto de Renda em MS

BNDES lança site para ampliar transparência e acesso a informações
NOVIDADE

BNDES lança site para ampliar transparência e acesso a informações

Com imposto menor, preço do etanol em MS só deve baixar no fim de semana
COMBUSTÍVEL

Com imposto menor, preço do etanol só deve baixar no fim de semana

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião