Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

PREFEITURAS FALIDAS

Crise deixa cerca de 200 obras paradas nas cidades do Estado

Segundo associação dos municípios, Dilma cortou verbas destinadas a investimentos

6 AGO 2015Por GABRIEL MAYMONE17h:24

Por conta da falta de repasse de recursos federais, pelo menos 200 obras estão paradas nos municípios de Mato Grosso do Sul. Segundo o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Juvenal Neto (PSDB), a situação dos municípios é delicada devido ao não cumprimento de uma série de acordos pelo governo federal.

Ele observou que a maior reclamação dos agentes públicos é que, além do problema da queda da receita do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), o governo federal cria os programas sociais e não indica a fonte de recursos, deixando as prefeituras engessadas.

O presidente da Assomasul se referiu principalmente ao não repasse dos valores dos chamados “restos a pagar”, já que as prefeituras do Estado têm para receber cerca de R$ 140 milhões referentes aos orçamentos de 2013 e 2014 e a presidente Dilma Rousseff cortou boa parte das verbas destinadas aos investimentos com o contingenciamento anunciado recentemente pelo Palácio do Planalto.

Por causa disso, muitas obras já licitadas pelos prefeitos estão inacabadas, deixando os prefeitos com a imagem aranhada perante a população que cobra os investimentos.

PROTESTO

Organizado pela Assomasul, o protesto contra a crise financeira enfrentada pelos municípios vai fechar por um dia as portas de todas as prefeituras do Estado.

A assessoria de imprensa da Assomasul, que lançou o movimento, afirma que todos os prefeitos do Estado virão para Campo Grande na próxima segunda-feira quando farão reunião na própria sede da associação.

Devem participar do ato parlamentares e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Depois disso, cada prefeito decidirá como dará continuidade à campanha, que vai durar pelo menos 30 dias.

Leia Também