Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Cooperativismo agora está no conselho da junta comercial

Posse de nova diretoria aconteceu nesta quinta
19/07/2019 09:27 - DA REDAÇÃO


 

Representantes do cooperativismo agora fazem parte da Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul. A posse deles no conselho da instituição ocorreu ontem, em Campo Grande. 

Diego Linhares da Cunha e Rogério Alexandre de Jorge Napoleão Piva, representantes da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB-MS), exercerão as funções de vogal titular e vogal suplente, respectivamente, para o mandato que corresponde ao quadriênio de fevereiro de 2019 a fevereiro de 2023.

Participaram do evento o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o presidente do sistema OCB-MS, Augusto Ferreira de Castro, o presidente da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul, Nivaldo Domingos da Rocha, e a superintendente da OCB-MS, Dalva Caramalac. 

Fazer parte do colegiado da junta comercial é uma reivindicação antiga do cooperativismo e que faz parte da Lei Estadual do Cooperativismo. “É um reconhecimento ao cooperativismo no nosso estado, da importância do segmento para a economia e melhoria da vida das pessoas. O Sistema OCB/MS e todas as cooperativas se sentem honrados em ter representantes compondo o colegiado da junta comercial”, declarou Celso Régis.

Para Verruck, a presença de pessoas na instituição com conhecimento na área do cooperativismo será importante para agilizar os processos do setor. “O cooperativismo  é um pilar importante na economia de Mato Grosso do Sul”, ressaltou.

Ele ainda completou que isso é resultado do Programa Estadual de Desenvolvimento e Fortalecimento do Cooperativismo em Mato Grosso do Sul (Procoop).

“Acreditamos que a chegada de pessoas com expertise em cooperativismo trará muitos benefícios, já que o setor cresce a cada ano. Essa participação vai fomentar a constituição de novas cooperativas e auxiliará a população como um todo”, afirmou Augusto Ferreira de Castro.

 

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSB do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!