AURORA

Cooperativa inaugura investimento<br> de R$ 21,5 mi no Estado

Armazéns ficam em São Gabriel do Oeste
22/08/2017 05:00 - DA REDAÇÃO


 

A Cooperativa Central Aurora Alimentos inaugura hoje, às 16h, a unidade armazenadora de grãos localizada no quilômetro 609 da Rodovia BR-163, em São Gabriel do Oeste.

A expansão teve investimentos de R$ 21,5 milhões, com ampliação da capacidade de armazenamento de grãos na região central do Brasil. Participam da solenidade o presidente da cooperativa, Mário Lanznaster, e o vice-presidente, Neivor Canton.

A empresa construiu junto à planta industrial de São Gabriel quatro silos (de um conjunto de oito projetados), que compõem a unidade de recebimento e armazenagem de grãos.

Cada silo tem capacidade estática de estocagem de 10 mil toneladas, permitindo um fluxo contínuo de 300 toneladas/hora.

No local, são armazenados milho e soja adquiridos em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul para consumo na base produtiva espalhada no oeste de Santa Catarina e no sudoeste do Paraná.

O presidente Mário Lanz­naster justificou o investimento, assinalando que a Cooperativa Central Aurora Alimentos consome 90 mil sacas de milho por dia, o que equivale a 180 carretas/dia ou 120 mil toneladas por mês.

A quantidade de matéria-prima é necessária para composição de rações que alimentam plantéis permanentes, no campo, formados por 34 milhões de frangos de corte e galinhas de postura e 1,3 milhão de suínos.

*Leia reportagem, de Rosana Siqueira, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".