Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Desempenho positivo

Captação líquida da poupança
fica em R$ 2,14 bilhões

Resultado foi o melhor para meses de agosto desde 2013

6 SET 17 - 17h:03Istoé

Pelo quarto mês seguido, os brasileiros depositaram mais do que sacaram na poupança. Em agosto, a captação líquida (depósitos menos retiradas) somou R$ 2,14 bilhões, informou hoje (6) o Banco Central.

O valor é menor que a captação líquida registrada em julho (R$ 2,34 bilhões), mas foi o melhor resultado para meses de agosto desde 2013, quando os depósitos tinham superado as retiradas em R$ 4,65 bilhões.

Apesar do desempenho positivo nos quatro últimos meses, as retiradas continuam maiores que os depósitos em 2017.

Nos oito primeiros meses do ano, a caderneta de poupança registrou saques líquidos de R$ 7,81 bilhões. Mesmo assim, esse foi o melhor resultado para o período de janeiro a agosto desde 2014, quando a aplicação tinha registrado captações líquidas de R$ 14,16 bilhões.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões.

Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrirem dívidas, num cenário de queda da renda e de aumento de desemprego. Em 2015, R$ 53,5 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões.

Rendimento

A poupança voltou a atrair recursos mesmo com a queda de juros. Isso porque o investimento voltou a garantir rendimentos acima da inflação, que está em queda.

Nos 12 meses terminados em agosto, a poupança rendeu 6,90%. Já a inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgada hoje (6), soma 2,46% no mesmo período, no menor nível no acumulado de 12 meses desde fevereiro de 1999.

Apesar da queda dos juros, a poupança continua atrativa. Hoje, o Banco Central deve reduzir a taxa Selic (juros básicos da economia) para 8,25% ao ano, mudando as regras da caderneta, que passará a render menos.

Mesmo assim, de acordo com a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), o dinheiro investido na poupança continuará rendendo mais que a maioria dos fundos de investimentos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MERCADO FINANCEIRO

Dólar fecha praticamente estável na expectativa por agenda carregada da semana

PIB

Governo deve reduzir previsão de crescimento da economia em 2019

Rombo da previdência estadual aumentará 50% no próximo ano
PROJEÇÃO GOVERNO

Rombo da previdência estadual aumentará 50%

Vice-ministro chinês é eleito como novo diretor da FAO
NOVO REPRESENTANTE

Vice-ministro chinês é eleito como novo diretor da FAO

Mais Lidas