Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ECONOMIA

Capital firma acordo comercial com a Argentina

Parceria possibilitará convênios de importação e exportação entre países

13 OUT 19 - 10h:30SÚZAN BENITES

Com objetivo de internacionalizar as relações comerciais de Campo Grande, a diretoria da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), viajou nesta semana para a Argentina. A missão foi para a assinatura de dois acordos de cooperação com outras entidades representativas do comércio, indústria e serviços das províncias de Jujuy e Tucumán.

O primeiro convênio foi firmado com a Câmara de Comércio Exterior de Jujuy, e o segundo, com a Federação Econômica de Tucumán. Ambos com o intuito de promover o desenvolvimento de investimentos e oportunidades de negócios entre a capital sul-mato-grossense e as províncias argentinas. Como resultado espera-se a comercialização de produtos de Tucumán e Jujuy no Brasil, e dos produtos brasileiros na Argentina.

De acordo com o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro, um dos reflexos é facilitação do processo de importação e exportação, uma vez que possibilita que as operações de nacionalização e de saída de mercadorias sejam feitas em Campo Grande, onde existe um porto seco com grande ociosidade. “Haverá uma enorme redução dos custos de logística por conta da utilização de modais alternativos. As reduções de custos logísticos, aliadas à redução da burocracia e tempos de despacho aduaneiro trarão mais competitividade ao mercado local, além do desenvolvimento de um novo segmento de mercado, da operação logística, que é praticamente inexistente. Com isso, se ampliam os interesses em novos investimentos na cidade e no Estado”, destacou.

INTERCÂMBIO

Conforme o documento assinado, as câmaras de negócios vão promover um intercâmbio de informações e a realização de atividades conjuntas. O objetivo é tornar visível e aprimorar as oportunidades de negócios e as vantagens que ambas as regiões oferecem em termos de comércio exterior e atração de investimentos.

Segundo o presidente da ACICG a assinatura dos convênios potencializa o fechamento de negócios. “Essas parcerias vão permitir o intercâmbio de informações, a troca de conhecimento das potencialidades entre as três regiões e, consequentemente, o desenvolvimento empresarial de todas elas”, avalia o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro.

PROXIMIDADE

O economista-chefe da ACICG, Normann Kallmus, explica que somente a Federação Econômica de Tucumán é composta por mais de 50 associações representativas dos setores de comércio, serviço e indústria da região. “Esta é a região mais industrializada do norte da Argentina. Embora seja a menor província, ela é extremamente importante do ponto de vista estratégico, porque teremos aqui a possibilidade de encontrar fornecedores e clientes para os nossos produtos, assim como em Jujuy”.

Para o chefe da Câmara de Comércio Exterior da Jujuy, Jorge Gurrieri, a proximidade geográfica entre as regiões é uma vantagem inquestionável. “Estamos muito próximos da maior economia da América Latina, e isso oferece aos exportadores de Jujuy uma oportunidade muito interessante, já que o Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking do poder de compra. Queremos fortalecer o relacionamento com o Brasil para obter maior integração e, assim, poder sair ao mundo em uma aliança estratégica do Mercosul. Vamos tentar avançar em uma agenda de trabalho bilateral séria, produtiva e pragmática”. Além de Gurrieri, Sebastián Lucero e Martín Llanos representaram a entidade internacional no ato de assinatura do convênio com a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, na Casa de Governo em Jujuy.

ZICOSUR

Durante os encontros, discutiu-se também a integração da ACICG à Zona de Integração do Centro-Oeste da América do Sul (Zicosur). O economista da associação campo-grandense diz que Mato Grosso do Sul faz parte do Zicosur deste o seu início. “A maioria das pessoas nem sabe o que é o Zicosur. A importância de a Associação Comercial ser incorporada a esse grupo é muito grande, em função da possibilidade de fazer com que os associados se integrem mais entre o nosso grupo de empresas e, evidentemente, também com outras associações. O que fizemos nesta viagem não foi simplesmente estreitar laços comerciais, mas firmamos convênios que vão efetivamente facilitar a troca comercial entre províncias argentinas e Campo Grande, além que conquistamos o apoio dos governadores de Jujuy e Tucumán, para sermos integrados ao Zicosur”, comemora Kallmus.

A zona de integração é administrada pelo governador de Tucumán. “O acordo assinado entre a Província, a Federação Econômica de Tucumán e a ACICG vai iniciar uma integração regional pelo comércio e turismo. Essa missão surgiu como resultado das conversas promovidas há muito tempo sobre o corredor bioceânico entre Brasil, Argentina e Chile”, explica o subsecretário de Integração Regional da Secretaria de Relações Internacionais de Tucumán, Mariano Fernández.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Caos na Bolívia trava importação de matéria-prima de fertilizantes
UREIA

Caos na Bolívia trava chegada da matéria-prima de fertilizantes

Comerciantes acreditam em recuperação com aumento da cota para compras no Paraguai
FRONTEIRA

Comerciantes acreditam em recuperação com aumento da cota para compras no Paraguai

Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
RENDIMENTO

Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação

GOVERNO

Economia teme mais requerimento e pede que Serra retire pedido de detalhe de PECs

Pacote Mais Brasil inclui a PEC emergencial, a do Pacto Federativo e dos Fundos Públicos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião