Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OUTUBRO

Campo Grande tem a maior inflação entre as capitais do País

Aumento nos preços da carne e combustíveis puxaram a inflação em outubro

7 NOV 19 - 20h:18GLAUCEA VACCARI

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial, fechou outubro em 0,31% em Campo Grande. Conforme divulgado nesta quinta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice registrado na capital sul-mato-grossense é o maior do País. 

Aumento nos preços de carnes e gasolina, de 4,47% e 2,29%, respectivamente, puxaram a alta. Também registraram majoração de preços os grupos de transportes (0,90), alimentação e bebidas (0,72%), despesas pessoais (0,38%), educação (0,28%) e saúde e cuidados pessoais.

Houve queda nos preços de itens dos grupos de artigos de residência (-0,57%), habitação (-0,37%), vestuário (-0,20%) e comunicação (-0,07%).

A inflação vem após Campo Grande registrar dois meses de deflação, com -0,04% em setembro e -0,21% em agosto. No acumulado do ano, inflação acumulada é de 2,62%, enquanto nos últimos 12 meses índice é de 2,37% na Capital. 

No Brasil, a inflação medida pelo IPCA fechou outubro com alta de 0,10%, ante um recuo de 0,04% em setembro. A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 2,60% e, em 12 meses, ficou em 2,54%.

Na comparação entre os índices regionais, Campo Grande apresenta o maior índice, seguida por Vitória Vitória (0,29%), Rio de Janeiro (0,27%), Belém (0,22%) e Belo Horizonte (0,17%). Quanto as deflações, as maiores ocorreram em São Luís (-0,37%), Rio Branco (-0,14) e Curitiba (-0,12).

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

DESCONTOS

Bancos divulgam condições de mutirão de renegociação de dívidas

MERCADO FINANCEIRO

Dólar chega a cair, mas zera queda e fecha estável, a R$ 4,19

CONTAS PÚBLICAS

Para ajustar finanças, governo quer reduzir contribuição estadual para Cassems

Azambuja alegou necessidade de se adaptar a medidas do ajuste fiscal estadual e federal
Comércio ficará aberto até mais tarde durante o fim de ano
HORÁRIO ESPECIAL

Comércio ficará aberto até mais tarde no fim de ano

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião