Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAGED

Campo Grande extinguiu 1.970 vagas<br> e ter pior resultado para julho

Por dia, foram 63,5 postos de trabalho com carteira assinada extintos
16/08/2017 04:00 - DA REDAÇÃO


 

Com mais de 1,9 mil postos de trabalho fechados, Campo Grande registrou o pior índice de toda a série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Conforme o levantamento, somente no mês passado, a Capital registrou 7.191 admissões, contra 9.161 desligamentos, o que resultou em saldo negativo de 1.970 postos de trabalho fechados no estoque.

Por dia, foram 63,5 postos de trabalho com carteira assinada extintos na Capital, média de 2 vagas cortadas por hora.

O índice de cortes em postos de trabalho pelas empresas só havia passado da casa de mil empregos extintos em 2015, com 1.060 vagas fechadas em julho daquele ano.

O resultado é quase seis vezes superior à variação registrada no mês anterior. Em junho deste ano, Campo Grande já havia registrado saldo negativo, com 337 vagas extintas. Em julho do ano passado, foram fechados 538 postos de trabalho na Capital.

Ainda segundo dados do Caged, o setor de serviços foi o responsável pelo fechamento de vagas na Capital no mês passado.

*Leia reportagem, de Renata Prandini, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!