Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

briga antiga

Câmara dá sobrevida à guerra
fiscal entre Estados do país

31 MAI 17 - 23h:00FOLHAPRESS

Em uma nova derrota de São Paulo e das regiões industrializadas, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31) projeto que dá uma sobrevida de 15 anos à maior parte dos incentivos concedidos ilegalmente por Estados para atração de empresas, a chamada "guerra fiscal".

O texto já havia sido aprovado pelo Senado, mas como foi modificado pelos deputados, segue para nova e definitiva análise dos senadores. Foram 405 votos a favor e 28, contra.

São Paulo e os demais Estados industrializados queriam uma redução imediata e gradual dos incentivos fiscais em vigor.

Já Norte, Nordeste e Centro-Oeste pressionam para que tudo fique como está por pelo menos 15 anos, tese que acabou prevalecendo no relatório do deputado Alexandre Baldy (PTN-GO).

O projeto, que anistia os incentivos concedidos até hoje, permite aos Estados manter intactos por até 15 anos a redução de impostos concedida para atrair indústrias e empresas de agropecuária e infraestrutura rodoviária, aquaviária, ferroviária, portuária, aeroportuária e de transporte urbano. Os demais setores terão redução gradual e extinção do benefício em um menor período.

O grupo dos industrializados argumenta que a guerra fiscal vai continuar e vai se intensificar. Além disso, acrescentam, daqui a alguns anos as bancadas do Norte, Nordeste e Centro-Oeste podem se mobilizar para aprovar nova extensão do prazo.

Estimativa de técnicos da receita de São Paulo diz que, no conjunto, os Estados perdem entre R$ 100 e R$ 150 bilhões por ano com a renúncia fiscal criada pela guerra de incentivos fiscais.

O texto aprovado nesta quarta acaba ainda com a necessidade de unanimidade entre os Estados para concessão de novos incentivos.

Estabelece, agora, o aval de pelo menos dois terços das unidades da federação no Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária, órgão composto pelos secretários de Fazenda, Finanças e Tributação dos Estados), com pelo menos um terço em cada região.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Conselho de agrotóxicos elabora plano para controle de pragas em MS
CORREIO RURAL

Conselho de agrotóxicos elabora plano para controle de pragas em MS

Contribuinte com dívida poderá pagar Prefeitura com terreno
SEM SONEGAR IMPOSTO

Prefeitura agora pode receber terreno de devedores

Empréstimo de R$ 25 milhões pode financiar modernização do fisco
CAMPO GRANDE

Empréstimo de R$ 25 milhões pode financiar modernização do fisco

MS pode ter R$ 181 milhões <br>com antecipação do pré-sal
DIA DECISIVO

MS pode ter R$ 181 milhões com antecipação do pré-sal

Mais Lidas