Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

ECONOMIA

Caixa não vai mais financiar segundo imóvel para quem já tem crédito imobiliário ativo

6 AGO 2015Por extra06h:00

A Caixa Econômica Federal não financiará novamente a casa própria para os clientes que já obtiveram crédito no banco estatal para mesma finalidade e ainda estão pagando as prestações (com contrato ativo), utilizando o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). A medida começa a valer no dia 17 de agosto, para a aquisição de imóveis novos ou usados.

Pelas novas regras, os clientes que já forem detentores de um financiamento imobiliário ainda vigente desta linha de crédito não poderão tomar um novo empréstimo no banco, ainda que tenham renda para tal. Segundo a Caixa, a medida não afeta quem já financiou um imóvel e quitou a dívida, e agora quer fazer um novo financiamento. Para esses clientes, nada muda. A alteração também não vai afetar quem já tem dois financiamentos de imóveis ativos. Contratos já feitos serão mantidos. A mudança acontecerá apenas para futuras transações. A partir do dia 17, se o cliente ainda estiver pagando o primeiro empréstimo, o segundo será negado.

"Essas operações representam apenas 2,4% da quantidade de financiamentos concedidos pelo banco", justificou a Caixa, em nota.

Com a crise econômica, os brasileiros aumentaram o saque na poupança. Em junho, a caderneta registrou um volume de retiradas de R$ 6,26 bilhões, a maior saída de recursos para o mês desde o início da série histórica, em 1995.

Com a redução do volume de recursos disponíveis para emprestar, a Caixa Econômica informou ainda que o foco do banco este ano será o financiamento de imóveis novos, com destaque para a habitação popular —"Minha casa, minha vida" e recursos do FGTS.

Segundo uma resolução do Conselho Curador do FGTS, publicada este ano, 60% dos recursos para habitação nos bancos públicos deverão ser direcionados para o financiamento de imóveis novos.

Mudança anterior

No fim de maio, a Caixa já havia promovido mudanças na linha de crédito Pró-Cotista, destinada quem tem conta no FGTS há pelo menos três anos (36 meses) e não conta com outro imóvel na mesma cidade. Na ocasião, a instituição financeira reduziu o valor máximo do imóvel financiado de R$ 750 mil para R$ 400 mil.

A Pró-Cotista é destinada a quem ganha acima de R$ 5 mil (acima dos limites do "Minha casa, minha vida"). Com essa modalidade, é possível financiar até 85% do imóvel, pelo prazo máximo de 360 meses. A taxa de juros é de 7,66% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR). Essa linha pode ser requerida nas agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil (BB).

No fim de julho, a Caixa anunciou a liberação de R$ 4 bilhões para essa linha de crédito imobiliário Pró-Cotista, como forma de compensar os clientes pela restrição ao financiamento de imóveis.

Financiamentos com recursos da caderneta

No fim de abril, a Caixa já havia reduzido o limite de financiamento de imóveis usados adquiridos com dinheiro dos depósitos em caderneta de poupança ou recursos livres — ou seja, financiamentos de imóveis que valem mais de R$ 190 mil. Desde 4 de maio, o percentual máximo de financiamento para moradias usadas — que custam até R$ 750 mil — passou de 80% para 50% do valor do imóvel. No caso de bens novos, a Caixa só financia 80% do valor do bem. Antes, o percentual era de 90%

Leia Também